05/05/2014 - 14:49
1º de maio de outrora, que saudades...
 Foto: Arquivo Jesus Rodrigues 

Banda Teimosa

Dentre as comemorações antigas de Votorantim, o 1º de maio, "Dia do Trabalho", era sem dúvida nenhuma, a data mais esperada e ruidosamente comemorada por todos. Afinal, nada mais natural, pois o nosso então distrito era essencialmente povoado por famílias operárias, que residiam nos bairros da Barra Funda e da Chave.
Logo de manhã, antes do nascer do sol, eramos acordados ao som das lindas melodias e do Hino do Trabalhador que a nossa Banda, comandada pelos eficientes músicos: Domicio Terciani, Mário Negrinho, Góde, Itagiba, Gervasio Gomes Antonio, Milton Novais, Ataide, Ilkias, Sebastião Zanett e outros entoavam, alegrando as ruas dos bairros citados.
A cada rua que passava, a marcha alegre arrebatava consigo, idosos, adultos e crianças, que aplaudiam, dançavam e extravasavam uma alegria sadia e contagiante.
Após percorrer todas as ruas dos bairros, a corporação musical era recepcionada festivamente no Estádio do C.A. Votorantim, que as 10h horas da manhã, já se encontrava com suas dependências totalmente tomadas, para assistirem as demais festividades alusivas a tão importante data.
Uma vasta programação esportiva homenageava condignamente o trabalhador com competições de cabo-de-guerra, corridas, salto em distância e altura, arremesso de peso e disco, basquete e o tão esperado futebol de campo. Eram disputas que arrancavam emoções e aplausos da enorme torcida. O destaque disso tudo, era que os próprios chefes, mestres de seção e gerente das indústrias, competiam em igualdade de condições lado a lado com os operários, num clima de respeito, união e alto espírito esportivo.
O encerramento das comemorações esportivas, era marcado sempre com um suculento churrasco e muito chopp, onde todos participavam, inclusive a torcida e havia tanta fartura que sobrava carne e chopp os quais eram, posteriormente distribuídos pelos organizadores, às famílias votorantinenses, em suas próprias casas.
As comemorações, não paravam por ai. À noite, as famílias se concentravam na pracinha, ao lado de igrejinha S. José e, acomodadas nos bancos ao redor do coreto, aguardavam a retreta e as belas melodias que a banda executava, encerrando assim, de maneira brilhante, as homenagens do Dia do Trabalhador. Todos retornavam alegres e felizes para suas casas.
Foi uma época muito importante para a união das famílias votorantinenses, onde todos se conheciam, as amizades eram sinceras e o espirito solidário era constante, contribuindo para uma vida tranquila e feliz para todos.
A Banda passou... cantou coisas de amor e, deixou um rastro luminoso de saudades...
ANTIGAMENTE SE MORRIA MAIS CEDO, DEPOIS DE VIVER-SE MAIS.
HOJE, MORRE-SE MAIS TARDE, DEPOIS DE VIVER-SE MENOS.
Recordando esse período significativo da vida votorantinense, destacamos uma foto da Banda a Teimosa, que abrilhantava as festividades do Dia 1º de maio. O maestro era o Itagiba Loureiro de Mello.

Prof. Jesus Rodrigues Filho é pesquisador da história votorantinense


publicado na edição n° 66 de 3 a 9 de maio de 2014 do Jornal Gazeta de Votorantim, na página 06







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.