30/09/2016 - 10:14
Eleitor, a escolha é sua


O futuro de Votorantim será decidido pelo eleitor neste domingo. Apesar de obrigatório, votar é uma atitude muito importante. Cada vez que a urna eletrônica registra um voto, a responsabilidade do escolhido aumenta.

E, por mais simples que esse gesto pareça não há nada similar. O resultado de todo o processo eleitoral passa sim pela decisão do eleitor. É dele a “palavra” final.

O resultado da eleição de domingo determina, em um primeiro momento, o futuro da cidade. Afinal, ao prefeito eleito caberá implementar, imediatamente, as políticas públicas que devem beneficiar a população como um todo, inclusive aqueles que gostariam de ver outro candidato eleito. Mas, além de um efeito imediato, espera-se do eleito que ele planeje a cidade para um crescimento ordenado e próspero para além dos quatro anos de seu mandato.

Ao escolhido, cabe ainda, o respeito com o dinheiro público. Ele deve saber aplicar os recursos com competência e honestidade. Deve gerenciar a cidade para que tudo funcione bem.

Por isso, o eleitor tem que escolher bem quem será esse gestor público, o gerente municipal, que todos chamam de prefeito.

Seu perfil deve ser arrojado. Ele precisa saber dialogar com os opositores, saber ouvir a povo. Precisa lembrar que deve estar mais na rua e menos no gabinete. Deve cumprir todas as promessas feitas, já que quando as fez sabia da situação econômica da cidade e do país. 

É esse prefeito que Votorantim precisa. É esse gestor que a cidade espera. É essa pessoa que o eleitor deve escolher domingo.

Neste espaço, já disse que política é um dos jogos mais emocionantes da atualidade. Poucos sabem e podem jogar! Joga bem quem tem agilidade, habilidade, sabe conversar, articular e domina a forma de costurar apoios. É um jogo de estratégica.

Política também é arte a ser apreciada. Cheia de surpresas. Nos detalhes estão escritas as mais refinadas mensagens. Ora implícita, ora explícita. Cada um pode fazer a leitura que quiser. Ou lhe convier.

O mote principal está no que isto representa para o município e, consequentemente, à toda a população. Afinal, um político com mandato precisa saber o que fazer com ele. À pessoa que vai comandar a Prefeitura da cidade é obrigatório dominar técnicas de gestões públicas. Tem que saber governar, administrar para o bem de todos, praticar o bem coletivo – e não o interesse pessoal ou de um determinado grupo.

Tem que conhecer muito bem a cidade e a sua gente. Tem que falar – e entender - a língua do povo. Tem que ter tato, jeito, afinidade, cultura.
Eleitor, a escolha é sua.

 

Coluna publicada na página 02 da edição 188 da Gazeta de Votorantim de  de 30 setembro de 2016







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.