31/10/2016 - 09:08
Como descansar em paz?


Votorantim tem mais de 100 mil habitantes e apenas um cemitério. Entre janeiro e outubro desde ano, o São João Batista registrou 613 sepultamentos, uma média é 60 por mês. De acordo com informações da Prefeitura de Votorantim, há espaço para sepultamentos somente até maio de 2017. E isso preocupa.

O assunto constou da pauta da primeira reunião de transição de governos. O atual prefeito Erinaldo Alves da Silva (PSDB) e o eleito Fernando Oliveira Souza (DEM) discutiram a urgência de se construir um novo cemitério municipal, conforme informa a edição de hoje da Gazeta de Votorantim.

Erinaldo informou que há a possibilidade do município receber, da parte do Grupo Votorantim, uma área de 160 mil metros quadrados, localizada próxima do atual cemitério, para viabilizar a construção de um novo. O processo depende do aval da Cetesb e não é tão simples assim. Demanda tempo. Depois de um eventual sinal verde, vem a parte de obras civil e soma-se ai mais tempo e dinheiro.

Por isso que a demora para essa tomada de decisão, pela atual administração, foi criticada pelo vereador Pedro Nunes (PDT). A medida merece atenção urgente e não é de hoje.

Há, também, um projeto para a construção de um cemitério particular na cidade, na região do Capoavinha, mas é igualmente um processo demorado.
Caberá, portanto, à nova administração resolver essa questão com a agilidade que a atual não teve. Caso contrário, pós maio do ano que vem, o tamanho do problema será ainda maior.

Votorantim é uma cidade jovem, que cresceu rápido. Suas necessidades urbanas acompanham esse desenvolvimento. Seu povo precisa de serviços públicos de qualidade.

É necessário que as mães tenham um acompanhamento pré-natal digno, que a maternidade seja adequada, que as crianças tenham creches equipadas, escolas modernas, que os jovens tenham lazer, emprego, que possam progredir na cidade onde nasceram, constituam família, envelheçam com humanidade e, quando morrerem, possam descansar em paz na cidade que ajudou a desenvolver. Nada mais justo. 

Votorantim carece de muitas outras coisas, além de um novo cemitério. O novo governo não deverá ter dias fáceis. Fernando Oliveira sabia disso. Mas, quando a realidade se formatar, oficialmente, em janeiro, terá que garantir uma boa administração, mesmo tendo que recuperar o tempo perdido pelos gestores públicos que o antecederam. A população de Votorantim escolheu ele para resolver as demandas da cidade. Será uma tarefa árdua.

 

Coluna publicada na página 02 da edição 193 da Gazeta de Votorantim de 29 de outubro a 04 de novembro de 2016







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.