23/01/2017 - 15:37
A tradicional Copinha e o Estádio Municipal


Por muito pouco a Copinha de futebol Infantil de nossa cidade, sempre realizada em dezembro, e quase toda no Estádio Domenico Paolo Metidieri, não teria como palco esse local, por onde já passaram muitos profissionais de renome nascidos em Votorantim, tais como Fiote que chegou até o Santos de Pelé, Luizinho e Carlinho Costa do Grêmio de Porto Alegre, Marquinho do Corinthians e muitos outros.

Falamos da copinha porque foi um instrumento de vital importância quando todas as tardes de dezembro de 1997, passamos um abaixo assinado onde colhemos mil e duzentas assinaturas de pais de família reivindicando para que o prefeito da época não demolisse o Estádio que ainda era denominado Estádio do Clube Atlético Votorantim, recém desapropriado pela Prefeitura local.

Tudo começou quando estávamos em uma reunião no gabinete do Sr. Prefeito, onde a Diretoria da Associação Comercial de nossa cidade solicitava do alcaide algumas providências para melhorar o comércio local.
Em dado momento dessa reunião, o chefe do executivo solicitou atenção para o fato de que a Prefeitura havia desapropriado o Estádio para ser demolido e colocar à venda a área para supermercados, e ‘que me desculpe o Dr. Dercio, que aqui representa o futebol de nossa cidade, mas já está definido a demolição do Estádio’.

No mesmo instante esclareci ao Sr. Prefeito e seus próceres, que eu ali estava como Diretor Jurídico da Associação Comercial e que iria encetar movimento popular para impedir a destruição de nosso passado histórico de futebol, atletismo, basquete e competições aquáticas que o Estádio tem e já deveria estar tombado como Patrimônio Púbico;

Como já disse, saí do gabinete e iniciei o abaixo assinado, passando para todos os times varzeanos da cidade, somando aquelas assinaturas passadas nos jogos da copinha, que posteriormente foram protocoladas na Prefeitura, com cobertura da imprensa escrita falada e televisada, com ampla publicação no Jornal Folha de Votorantim, Cruzeiro do Sul e TV Cultura.
Diante da negativa da Prefeitura sem atender esse apelo popular, reuni mais três advogados defensores do esporte e impetramos uma Ação Civil Pública face a Prefeitura. Foram eles: o Dr. Roque Dias Prestes, João dos Santos Júnior e Roberto Fidêncio.

O povo tem memória curta, mas grande parte do meio esportivo lembra do nosso esforço, diante da prova eficaz que ai está, o gramado foi recuperado, alambrados foram reformados , a demolição foi paralisada, a arquibancada foi reformada, o gramado recebeu iluminação, mesmo com alguns erros infantis, tais como fixar postes da iluminação na frente das arquibancadas, com mais de um metro de largura, impedindo a visão dos jogos, tudo isto para nossa satisfação pessoal que hoje com 77 anos somos o mais antigo futebolista em evidência nascido em Votorantim.

Hoje ainda estamos em um impasse, ou seja, para que tenhamos a aprovação da Federação para utilizar em jogos profissionais, teríamos que ampliar as arquibancadas definitivamente e aumentar a área útil do gramado;
Independentemente de qualquer auxílio, nos recorremos ao técnico bastante conhecido na cidade, o Sr. Semer Carlos de Campos, que irá elaborar o projeto de ampliação, possibilitando assim que alguns jogos entre profissionais da região possam ser assistidos por votorantinenses, isto se a Prefeitura correr atrás, já que poderia instalar toda Secretaria de Esporte sob as arquibancadas.
Eis a prova que a fé move montanhas ou impede sua movimentação.

Dr. Demi° Maciel Camargo

 

Coluna publicada na página 16 da edição 202 da Gazeta de Votorantim de 21 a 27 de janeiro de 2017







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.