03/06/2014 - 14:43
Comunicação até no vaso sanitário


Em tempos de WhatsApp, Facebook e tantas outras redes sociais que eu nem sei os nomes,  a frase do grande Chacrinha está mais viva do que nunca:
“Quem não comunica se estrumbica”.
E é verdade. Antigamente, quando “íamos para o vaso”, levávamos juntos um jornal ou revista. Não gente. Não é para o que vocês estão pensando.  Apenas para leitura.
Mas, hoje coisa mudou. A onda agora é tablet ou celular no vaso sanitário.
Esta semana eu estou mergulhado de cabeça num estudo sobre comunicação empresarial.
E, em meio à pilha de livros e artigos que tenho lido, encontrei, no livro Sucesso em dose Dupla, de Wélida Dancini, uma história que bem expressa o que significa saber OU NÃO, comunicar-se bem.
 Você sabe?
“Um casal americano, em companhia dos filhos, viajou para a inglaterra para definir o local das próximas férias. Encontraram uma propriedade com uma linda casa, da forma como queriam.
Retornando á cidade de origem, se perguntaram onde ficava o banheiro da casa, pois não se lembravam de tê-lo visto. Então escreveram para o proprietário:
‘Caro proprietário, visitando sua cidade à procura de uma casa para as férias, soubemos que você é dono de uma moradia que muito nos agradou. No entanto, antes de celebrarmos nosso contrato, gostaríamos que nos indicasse o lugar em que se encontra o WC.’
Desconhecendo o significado da abreviatura WC e julgando se tratar da White Chapell  (Capela Branca), nome de uma comunidade religiosa inglesa, o proprietário  respondeu:
‘Prezados senhores, recebi sua carta e fico honrado pela escolha para férias de sua família. O local e o clima são admiráveis. Quanto ao WC, adianto-lhes que o mesmo está a dez quilômetros de distância, em cima da colina. Pode-se ir a pé, mas, para os que têm pressa, aconselhamos ir de bicicleta.
Há lugar para duzentas pessoas sentadas e cem em pé. Elas vão ao ato solene, principalmente quando é celebrado pela manhã, sendo que, normalmente, os homens ficam em pé e as mulheres sentadas.
O ambiente é muito acolhedor. No inverno, todos aproveitam para ficar mais juntinhos, o que torna a prática mais agradável e aumenta a disposição dos participantes.
Aconselhamos as pessoas a chegar bem cedo a fim de obter gratuitamente o jornal que, por uma questão de economia, depois de ser usado por seus familiares, será entregue lá fora àqueles que aguardam sua vez de entrar.
Um amplificador de som, colocado no interior do recinto, informa ao povo da cidade a maneira como se processa o ritual, quando fotógrafos aproveitam para documentar a prática de tão salutar espetáculo, para que os frequentadores guardem as fotos como lembrança.
Ao encerrar, todos inclusive as crianças, cantam em coro dando graças ao Senhor por terem conseguido realizar, com sucesso, tão nobre esforço. Então, numa bandeja recolhe o produto final dessa produigiosa contribuição humana, que, ao som de uma banda de música local, é repartido fraternalmente por todos os moradores da região, na comuhão do divino paladar que nos oferece o Senhor.
Durante a cerimônia, pedem aos presentes que evitem movimentar-se ou fazer ruído muito alto, a fim de não tirar a concentração dos que estão ao seu lado.’”
Comunicação é peça chave na caminhada rumo à bons negócios e sucesso. E empresas ou profissionais quenão sabe usá-la, certamente estão perdendo muita coisa.
Beijos e Comunique-seeee!!!!

 


publicado na edição n° 70 de 31 de maio a 6 de junho de 2014 do Jornal Gazeta de Votorantim, na página 16







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.