29/08/2017 - 15:06
A formação do bairro Fazenda São Francisco
 Foto: Arquivo 

Residências para o alto escalão da empresa cimenteira

Enquanto o comendador Antonio Pereira Inácio começava a investir na fábrica de tecidos Votorantim, aproveitou para adquirir uma extensa área que viria se chamar Fazenda São Francisco, como forma de ampliação de seus negócios.

Logo houve a necessidade de se construir moradias para atender os envolvidos nos trabalhos na comunidade que surgia e nas atividades como criação de animais, lavoura, uma grande horta e principalmente no plantio e corte de eucaliptos.

No começo tudo era muito simples, havia um grande tanque coletivo para que as mulheres garantissem a lavagem de roupas, não havia água encanada e o esgoto era destinado às fossas no quintal. O bairro ficava próximo da antiga estrada de terra Votorantim-Piedade, foi sendo expandido no mesmo período que surgiu a Usina e Vila da Light e antes mesmo do surgimento da fábrica cimenteira Votoran e outros conjuntos de casas como Vila Baltar, Santa Helena e Vila Olímpia.

Na Fazenda São Francisco um dos núcleos mais antigos era chamado de “Bate Pau” que reunia cerca de oito moradias. Posteriormente surgia a rua principal com cerca de quinze casas de um lado e de frente outras 17 moradias, todas geminadas. Essa rua com canteiro central passou a ter a capela São Francisco, inaugurada em 10 de outubro de 1971. Nos anos 50 foram construídas nas proximidades, a Colônia Nova, com cerca de 10 casas e um campo de recreação. Já nos anos 60, a vila foi ampliada, com a construção de um novo conjunto de casas, mas dessa vez destoando das que existiam, eram bem maiores e dotadas de várias melhorias para acolher funcionários do alto escalão da fábrica Votoran.

Com a construção do campo de futebol surgiu também o time do bairro. Outra opção de lazer foi uma pequena represa conhecida como açude.   
Aquele lugar de forma simples e pacato parecia isolado do resto da cidade. Os ônibus passaram a circular em dois horários por dia, pois o itinerário era até Santa Helena e como não havia demanda, um ou outro circular ampliava o percurso para a Vila da Light ou à Fazenda São Francisco.
Infelizmente a maior parte das casas foi derrubada e junto levou parte da nossa história.
           
Cesar Silva é jornalista e autor de três livros sobre a história local.

Visite a Fanpage: “Histórias da Minha Cidade –Votorantim”.

 

Coluna publicada na página 13 da edição 233 da Gazeta de Votorantim de 26 de agosto a 01 de setembro de 2017







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.