30/10/2017 - 13:01
Não é preciso ferir para ensinar, nem ser ferido para aprender


Dentro de nosso desenvolvimento nos rodeiam muitos tipos de pessoas, ao mesmo tempo em que circunstâncias e particularidades influenciam e condicionam nosso desenvolvimento emocional. Assim, há situações inevitavelmente dolorosas e pessoas para as quais ferir os outros é muito simples, e momentos de grande felicidade e pessoas que proporcionam alegria aos outros.

De certo modo tudo isso – o bom e o ruim – não pode ser evitado e sempre existirá, dado que ninguém é perfeito. Todos cometemos erros e, às vezes, somos nós mesmos que ferimos os outros sem nos darmos conta. O problema aparece, no entanto, quando se torna um hábito ou passa-se a acreditar que para aprender deve-se sofrer, quando o certo na verdade é que não é necessário ferir para ensinar nem ser ferido para aprender. (Autor desconhecido)

 

 

Coluna publicada na página 06 da edição 242 da Gazeta de Votorantim de 28 de outubro a 03 de novembro de 2017







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.