12/02/2018 - 09:35
Mais um bairro operário que deixou de existir

Vila da Light, na região de Santa Helena

Como é triste perder as referências de espaços físicos do passado e agora que o local onde conviveu não pode sequer ser visitado, ficando somente as lembranças que teimam em não sair da mente. A Vila da Light se constituiu em mais um lugar que deixou de ser preservado em Votorantim e a falta de uma política de manutenção de espaços ceifou de nossos olhos uma importante área que poderia ser valorizada, independente de ser um espaço particular e assim ter uma destinação voltada aos interesses coletivos.

Essa vila operária foi formada no início do século passado por um conjunto de cerca de 70 casas, na região de Santa Helena, com a única finalidade de acomodar trabalhadores e seus familiares para garantir o pleno funcionamento da Usina da Light, que está situada abaixo da barragem da Represa de Itupararanga e recebe um volume considerável de água por meio de uma tubulação em grande declive, que ao chegar à Usina movimenta as turbinas e gera energia para compor o sistema.

Quantas foram as pessoas que ali moraram, foram centenas de famílias, desde o final da década de 10 até os anos 90, porém nos últimos tempos o local estava sendo desocupado. 

Havia o fascínio em seus moradores que gostavam de comentar aos visitantes sobre a barragem da represa Itupararanga, a usina da Light e o conjunto de casas dos operários que haviam sido feitas num período em que não existia a produção cimenteira no país e tudo vinha acomodado em barricas de madeira armazenados em navios provenientes do exterior.

Ali na vila contavam com o “cineminha”, tinha os jogos do time São Paulo Electric Football Club fundado pelos engenheiros estrangeiros que ali trabalharam, a belíssima cachoeira São Francisco com um salto de 50 metros de altura e profundidade que chegava a 12 metros, o trolinho que levava os trabalhadores e visitantes da usina até o topo do morro, a escola primária de Itupararanga, o playground, a capela e a jardineira que era um micro-ônibus conhecido popularmente como “Porcão” ajudando a transportar os moradores e em especial os estudantes no centro do distrito de Votorantim e às escolas de Sorocaba.

Cesar Silva é jornalista e autor de três livros sobre a história local

Visite a página no Facebook: “Histórias da Minha Cidade –Votorantim”

Coluna publicada na página 14 da edição 254 da Gazeta de Votorantim de 10 a 16 de fevereiro de 2018






Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.