19/02/2018 - 09:47
Terceira idade


Um dia o meu espelho me contou: -Você está na terceira idade!

Tomei um susto. Me olhei de novo, percebi então que pela aparência externa eu estava mesmo. Dura realidade, fiquei pensando...

Quando entrei na terceira idade? Não me lembrava, entrei tão devagarzinho que nem percebi.

Quando teria sido? Não foi com a queda de meus cabelos, pois esses começaram a cair nos trinta.

Cabelos brancos? O grisalho me pegou cedo, tinha uns 45 e na época não meteu medo, mas quando teria sido? Como posso ter me esquecido?

As rugas? Meu gordo rosto sempre as escondeu. Ainda não as tenho.

A aparência cansada? Esta é de agora. Não defini a data, mas um dia, sem que eu percebesse, entrei na terceira idade.

O que é terceira idade? Apenas uma convenção. Definiu-se pela idade. 60, 65? não sei. Sei que pela minha mente ainda sou adolescente, agora até mais que antes. Voltei a agir por impulsos, me sinto ainda uma criança e ainda nessa minha andança pelos caminhos da vida, eu crio artes.

Minha mente bola travessuras, as mais belas aventuras para minha criança fazer. Virei criança outra vez.

Aquela menina quieta, calada e tímida de outrora, mas que na hora de brincar, inventava mil coisas na hora que à minha mãe enlouquecia. Assim era eu, será um início de caduquice? Mas ainda me sinto assim: ainda adolescente, sentindo ainda a vida pela frente.

Estou na 3ª idade, estou viva, pois ainda sinto o amor e ainda sinto a vida e é isso o que importa. Se ame. Ame.

(Autor desconhecido)

 

Coluna publicada na página 06 da edição 255 da Gazeta de Votorantim de 17 a 23 de fevereiro de 2018







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.