09/04/2018 - 12:09
Quem a Gazeta de Votorantim incomoda?

Levar à população de Votorantim os fatos e notícias que envolvem a cidade não tem sido uma tarefa das mais fáceis para chegar onde chegamos, seja com a TV Votorantim, que é um veículo inteiramente comunitário, ou com a Gazeta de Votorantim e Portal Gazeta de Votorantim, que trabalham pautados na ética do jornalismo e na constituição vigente em nosso país.

A Gazeta de Votorantim trabalha para levar as informações sobre os fatos que ocorrem dentro do nosso município ou envolvem a cidade de forma direta, tais como notícias sobre política, economia, saúde, casos policiais, questionamentos dos leitores, programação de eventos e atividades culturais e muito mais.

Mas quando o assunto é questionamento sobre a gestão pública, o entendimento muitas das vezes se torna tenso, pelo simples fato de que governo e governantes não suportam ser questionados ou mesmo satirizados por ações e comportamentos que tenham cometido e que desagradam os munícipes, em especial aqueles que os elegeram.

Para os gestores é uma dificuldade tremenda entender que um veículo de comunicação não cria fatos, e sim repercute o que aconteceu. A maior dificuldade para quem é poder é também entender que a imprensa, seja ela local, como é o caso da Gazeta de Votorantim, ou nacional e internacional, ao dar uma informação, dá a oportunidade de o agente público reavaliar e voltar atrás em uma decisão que pode ter consequências negativas, tanto para ele como para a população para a qual ele governa.

Esta falta de entendimento faz com que o Brasil seja o sétimo país com assassinatos de jornalistas e profissionais de impressa, o que prova que existe uma guerra estabelecida entre quem governa e quem informa.

O jornalismo brasileiro possui um código de ética, coisa que não parece existir na prática na política brasileira.

Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros

Capítulo I – Do direito à informação

Art. 1º O Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros tem como base o direito fundamental do cidadão à informação, que abrange seu o direito de informar, de ser informado e de ter acesso à informação.

Art. 2º Como o acesso à informação de relevante interesse público é um direito fundamental, os jornalistas não podem admitir que ele seja impedido por nenhum tipo de interesse, razão por que:
I – a divulgação da informação precisa e correta é dever dos meios de comunicação e deve ser cumprida independentemente de sua natureza jurídica – se pública, estatal ou privada – e da linha política de seus proprietários e/ou diretores.

II – a produção e a divulgação da informação devem se pautar pela veracidade dos fatos e ter por finalidade o interesse público;

III – a liberdade de imprensa, direito e pressuposto do exercício do jornalismo, implica compromisso com a responsabilidade social inerente à profissão;

IV – a prestação de informações pelas organizações públicas e privadas, incluindo as não-governamentais, é uma obrigação social.

V – a obstrução direta ou indireta à livre divulgação da informação, a aplicação de censura e a indução à autocensura são delitos contra a sociedade, devendo ser denunciadas à comissão de ética competente, garantido o sigilo do denunciante.

A Gazeta de Votorantim estará sempre em busca da informação sobretudo no que se refira à cidade de Votorantim, seja esta informação no âmbito público ou privado, e não aceitará jamais a interferência em seu trabalho jornalístico, pois mesmo Votorantim sendo um dos municípios mais jovens do estado de São Paulo, não se pode aceitar comportamentos que já foram prática em outras décadas, mas que não se justificam em uma democracia na qual a imprensa exerce o papel fundamental de tornar públicas as informações que afetam a vida do cidadão. Quem viveu os anos 70 sabe que censurar só é bom para o censurador.

Se a nossa cidade tem apresentado melhoras em vários setores, não temos dúvida de que parte disto se deve aos políticos, mas há também a participação da imprensa local, que além de denunciar, sabe muito bem cobrar aquilo que é de direito do votorantinese e da população com menos recursos.

Podemos ser pressionados, cobrados e ameaçados, mas só deixaremos de exercer nossa função de informar no dia em que a cidade decidir que nosso trabalho não tem mais importância.

Gazeta de Votorantim: o jornal que tem lado, o seu.

 


Editorial publicado na página 02 da edição 262 da Gazeta de Votorantim 07 a 13 de abril de 2018







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.