10/04/2018 - 10:12
Vida simples, mas de muito trabalho

Fábrica Metidieri funcionou a partir de 1951


Quem relembra a figura do industrial que chegou a gerar 1.380 empregos na cidade e ocupou a presidência da Federação Paulista de Futebol fica ainda mais admirado ao saber da origem simples, mas de perseverança, que permitiu se tornar um dos grandes empreendedores da região.

Alfredo Metidieri começou ajudando o pai, o italiano Domênico Paolo Metidieri, que assumia empreitadas do Grupo Votorantim como o plantio de eucaliptos na Serra de São Francisco. Ajudava limpando o mato nessas áreas pois nem sempre o pai tinha dinheiro para pagar funcionários.

A vontade de ter o próprio negócio fez investir num beneficiamento de arroz mas logo mudou de área, quando o sogro Luiz Peinado, que era mestre de tecelagem na fábrica Votorantim, o convenceu a abrir um negócio na área têxtil. Em 1951 Alfredo comprou e montou os teares, o pai entrou com um barracão na avenida Reverendo José Manoel da Conceição e o sogro com o conhecimento técnico e rolos de tecidos para iniciar a produção. Assim nascia a fábrica Metidieri.

A empresa cresceu em tamanho e importância. Tudo que produzia era facilmente vendido. O Linho era uma novidade no mercado e acompanhando a tendência veio o Poliéster. Apoiou o surgimento de facções têxteis em pequenos barracões, garagens e adaptações nas casas, contribuindo para gerar renda e mais empregos.

Incentivou a formação do time Metidieri Futebol Clube que se destacou nos anos 50 e início dos anos 60. Já nos anos 70 formou a Associação Recreativa dos Empregados da Metidieri (Arem) que por quatro anos se sagrou campeão varzeano. Em 1971 foi fundador e primeiro presidente da Guarda Mirim, doando os uniformes aos que ingressavam na entidade. Vendeu a empresa em 1977 alegando estar cansado e a família não ter condições de tocar o negócio.

Alfredo quase se enveredou na política local. Logo após a emancipação de Votorantim teve vontade de se candidatar a prefeito na primeira eleição, mas a pedido do gerente Mathias Gianolla, da fábrica Votorantim, desistiu e apoiou a candidatura de Pedro Augusto Rangel.

Sempre participativo das festividades do Clube Atlético Votorantim, foi grande apoiador das causas sociais e pessoa acessível ao contato popular.


Cesar Silva é jornalista e autor de três livros sobre a história local
Visite a página no Facebook: “Histórias da Minha Cidade –Votorantim”

 

Coluna publicada na página 14 da edição 262 da Gazeta de Votorantim 07 a 13 de abril de 2018







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.