23/04/2018 - 10:30
Tenho menos tempo de vida do que já vivi


Contei meus anos e descobri que tenho menos tempo para viver a partir daqui, do que o que eu vivi até agora.

Eu me sinto como aquela criança que ganhou um pacote de doces; o primeiro comeu com prazer, mas quando percebeu que havia poucos, começou a saboreá-los profundamente.

Já não tenho tempo para reuniões intermináveis em que são discutidos estatutos, regras, procedimentos e regulamentos internos, sabendo que nada será alcançado.
Não tenho mais tempo para apoiar pessoas absurdas que, apesar da idade cronológica, não cresceram.

Meu tempo é muito curto para discutir títulos. Eu quero a essência, minha alma está com pressa... Sem muitos doces no pacote.

Quero viver ao lado de pessoas humanas, muito humanas. Que sabem rir dos seus erros. Que não fiquem inchadas com seus triunfos. Que não fiquem longe de suas responsabilidades, defendem a dignidade humana e queiram andar do lado da verdade e da honestidade.

O essencial é o que faz a vida valer a pena.

Quero cercar-me de pessoas que sabem tocar os corações das pessoas. Pessoas a quem os golpes da vida, ensinaram-nas a crescer com toques suaves na alma.

Sim! Estou com pressa. Estou com pressa para viver com a intensidade que só a maturidade pode dar.

Eu pretendo não desperdiçar nenhum dos doces que eu deixei. Tenho certeza de que eles serão mais requintados do que o que comi até agora.

Meu objetivo é chegar ao fim satisfeito e em paz com meus entes queridos e com a minha consciência.

Nós temos duas vidas e a segunda começa quando você percebe que você só tem uma.

(Autor desconhecido)

 

 


Coluna publicada na página 06 da edição 264 da Gazeta de Votorantim 21 a 27 de abril de 2018







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.