25/06/2018 - 12:55
Cerca-Lourenço (edição n°273)


Gaguinho não aprende ...
Está longe para o que gabinete do vereador Gaguinho volte a ter momentos de calmaria, depois de toda a repercussão que tomou o assunto “Gaguinho e o uso indevido do carro oficial”, no qual estava tudo pronto para os assessores serem os vilões da história, e acabou que o feitiço está virando contra quem quis enfeitiçar. Mas o vereador insiste em agir de forma nada elegante com seus colaboradores: o atual chefe de gabinete, André Luís Pereira da Silva, há uma semana no cargo, é quem agora não pode entrar na sala de trabalho e está ficando do lado de fora do gabinete.

Já assistimos a este filme recentemente
Pelo que se comenta na Câmara, a história é a mesma: Gaguinho não quer mais o trabalho de André. Mas diferente de qualquer empregador deste mundo, que avisa a seu funcionário que esse está demitido, Gaguinho não sabe fazer isto. A prática continua a mesma: sala fechada em horário de expediente e o servidor público do Legislativo, que é pago por cada um que reside e consome na cidade, sem trabalhar. Aliás ontem, sexta-feira (22), às 15h, dois gabinetes estavam fechados em horário de expediente, sendo os de Gaguinho (DEM) e Lilo (MDB), além do da presidência.

Comunista Gago
Como foi dito na última semana nesta coluna, o chefe de gabinete de Gaguinho, André Luís Pereira da Silva, é votorantinense e militante do PC do B. Quando se faz a análise política do vereador e do PC do B, pouca relação com Gaguinho é possível encontrar. Porém, neste balaio de gato todo, existem fatos concretos do tipo: o pré-candidato estadual do PC do B, Gabriel Soares, votorantinense, tem uma relação afetiva (namorado) com a filha de um vereador da cidade de Sorocaba. Esta aproximação de Gabriel com o possível sogro traz a possibilidade de fazer com que o partido PC do B possa estar próximo e no mandato de um vereador, que estaria apenas esperando a oportunidade legal para abandonar o DEM; assim, existiria a possibilidade dos comunistas terem um vereador na Câmara de Votorantim, e o primeiro passo seria fazer parte do mandato.

Friaaaaa
Mas o próprio PC do B já começou a perceber o quanto o vereador é instável e sobretudo com manias e vícios políticos que o próprio PC do B reprova.

Missão nada fácil do doutor
Coincidência ou não, o advogado Ricardo Gouveia assessorou o possível sogro de Gabriel Soares até dezembro de 2017; conceituado, respeitado não só pelos colegas advogados, mas pela classe política sorocabana, a missão de Gouveia seria dar orientação ao vereador Gaguinho no sentido de que os trinta meses que ainda tem de mandato possam ser de menos problemas e de mais propostas para a cidade.

Tem uma jóia do lado e parece não saber
Existe a dúvida se Gaguinho tem consciência da joia que ele tem em sua assessoria, e do quanto o advogado Ricardo Gouveia pode transformar o seu mandato em um mandato de referência.

Errar é humano, persistir no erro é ...
Esta dúvida se encontra no fato do vereador cometer os mesmos pecados, seja com a prática do clientelismo ou pelo simples fato de não permitir a entrada de seu recém-contratado no gabinete para trabalhar, coisa que o advogado deve ter orientado para que o vereador agisse de forma diferente.

Vai gostar de desafio assim lá na...
Ricardo Gouveia não é político e sim um técnico, veio para dar uma sustentação para o vereador neste momento difícil, e não conhecia o Gaguinho; não esconde que gosta de política, e de estar envolvido com política, assim veio motivado pelo desafio; acha válida a experiência e acredita que também irá aprender por chegar nesse momento complicado que o mandato de Gaguinho está vivendo.

Edson Cortez seria a luz no fundo deste túnel escuro?
Na sessão extraordinária da última quarta-feira (20) ficou provado que os vereadores querem apenas diálogo e satisfação. O secretário de Cultura e Turismo Edson Cortez esteve em vários dias percorrendo os gabinetes para convencer os vereadores da importância da aprovação de dois projetos de lei ordinária, um que altera a redação dos Artigos da Lei Municipal nº 2471 e outro que dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Turismo e revogam-se as Leis Ordinárias nº 2581.
Este trabalho político e de aproximação rendeu elogios até mesmo dos vereadores mais críticos do governo municipal; um destes vereadores, que exaltou a atitude e o trabalho de Cortez, foi o vereador Gaguinho. Heber Martins aconselhou ao governo aprender com o secretário de Cultura a prática do conversar.

Lilo foi ético
O único que o secretário de Cultura não convenceu foi o vereador Lilo (MDB), que teve uma postura também para ser seguida, pois para não dar o braço a torcer para o governo, não votou contrário, pois não participou da sessão extraordinária.
“Olhar o rabo dos outros é fácil, olha o seu rabo, minha filha”
O presidente da Câmara, Bruno Martins, utilizou a tribuna da Câmara para mandar recado a uma filiada do PV e comissionada da Secretaria de Meio Ambiente. Segundo Bruno Martins, a servidora pública estaria desqualificando a Casa de Leis. Em sua fala, o presidente, sem pensar, pediu para que ela “cuidasse do rabo dela”.

“Miramontes, contador de macaco”
Além de criticar o comportamento da servidora, Bruno Martins disparou sua metralhadora contra a administração e criticou o secretário de Meio Ambiente, Wilson Miramontes, dizendo que não sabe o que ele faz na Secretaria: contar macaco que não é, disse Bruno; e completou aconselhando o vice, Lê Baeza, a deixar o PV da forma como ele (Lê Baeza) havia anunciado.

Quando critica o trabalho
de um secretário está criticando o governo e o prefeito
Bruno se esqueceu que ele faz parte da base do governo Fernando Oliveira Souza, e qualquer crítica cai na administração à qual ele defende na base de sustentação.

O Tribunal liberou o uso da charge com a cara e rosto de políticos
O plenário do STF derrubou na última quinta-feira (21) por unanimidade, trechos da reforma eleitoral de 2009, que impediam que veículos de comunicação fizessem montagem ou sátiras com políticos. Esses dispositivos estavam suspensos liminarmente pelo plenário da Corte desde setembro de 2010.
Ou seja, “quem não aceita a charge” que saia da política ou nem entre.

A boca de Pedro Nunes
O estúdio da TV Votorantim na Festa Junina não está servindo apenas para se falar de São João, São Pedro e Santo Antônio. Com a circulação pela festa de políticos de todas as tendências da cidade, a TVV não está perdendo a oportunidade de conversar sobre questões políticas também.
Pedro Nunes foi um dos que não fugiram das polêmicas: elogiou o vice, Lê Baeza, mas deixou claro que cargo de vice é um cargo de expectativa, e não existe possibilidade de ninguém, mas ninguém mesmo, furar fila de serviço na SESP. E sobre ser expulso do PDT, contou toda a trajetória política do vereador Heber Martins até o vereador se tornar presidente do partido; Pedro não poupou de tratar os que o criticam de bostas, e garantiu que ele é assim, vai continuar sendo assim, e só deve satisfação ao prefeito... e os demais: “... que vão a merda”, afirmou.

Grato, mas não contente
Outro que esteve no estúdio da TV Votorantim foi Luciano Silva (sem partido), e deixou muito claro que é grato ao governo pela oportunidade que teve de saber como é estar no executivo, mas se define como neutro, nem situação, muito menos oposição, e que sua maior crítica não é contra o prefeito, mas para quem está no dia a dia próximo ao prefeito e não o auxilia como deveria auxiliar.

 

 

Publicado na edição n°273 de 23 a 29 de junho de 2018 da Gazeta de Votorantim, página 02.

 







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.