05/08/2014 - 13:48
Oportunidades são criadas em momentos de desaceleração da economia

Ao analisarmos os índices de nossa economia, constatamos uma desaceleração e um enfraquecimento em diversos setores econômicos e não é diferente no mercado imobiliário. Taxa de juros mais altas, inflação oficial acima do teto da meta, baixo crescimento econômico e além destes dados oficiais e divulgados, temos ainda uma percepção ruim para o futuro de boa parte da população e dos empresários.

O mundo econômico sempre foi cíclico e dinâmico, mas não significa que grandes e bons negócios somente se realizem em momentos de fartura e bonança. Para quem já tem um horizonte mais amplo e que viveu as crises dos anos 80 e 90, o que estamos vivendo em nada se compara com os períodos de imensa dificuldade econômica brasileira.

O ano de 2014 está sendo completamente atípico, o carnaval foi tardio (mês de março), a copa do mundo em território nacional e agora as eleições em outubro, fez com que o país tivesse reduzido de forma significativa os dias úteis de trabalho para todos os cidadãos, além de restringir ainda mais as atividades nos legislativos em todos as esferas.

Analisando o mercado o imobiliário, vivemos agora uma desaceleração, que pode também ser encarada de forma positiva, pois é um momento de ajustar e consolidar os preços, a demanda, a oferta, pois nenhuma valorização é sustentada no longo prazo sem períodos de ajustes.

Esses períodos dão ainda mais sustentabilidade e segurança para que no longo prazo o mercado seja ainda mais sólido e afaste ainda mais riscos de bolha e de desvalorização.

Em momentos como esse as pessoas tendem a não realizar negócios e postergar decisões de compra e justamente por essa razão as oportunidades são criadas em todo o mercado. Afinal em todos os mercados as melhores vendas são realizadas quando o mercado está comprador e as melhores compras são realizadas quando o mercado está vendedor.

Ir em direção contrária ao movimento das manadas, e se com equilíbrio e conhecimento pode trazer benefícios maiores e melhores tanto no mundo animal quanto no sentido mais amplo de mercado.

Embora em proporção menor que a capital, o interior também está enfrentando um desaquecimento econômico também no mercado imobiliário, momento em que a oferta tende a ser maior que a demanda, e isto traz um poder de negociação para o comprador ainda maior, com maiores possibilidades de se realizar um bom negócio.

A oferta também aumenta com os imóveis colocados no mercado por pessoas que precisam vender para aumentar a sua liquidez, tanto por pessoas físicas quanto pessoas jurídicas, cada qual com sua razão, mas geralmente porque assumiram compromissos financeiros e com o enfraquecimento da economia precisam vender algum ativo.

Importante lembrar mais uma vez que o mercado imobiliário tem uma valorização não linear, e que portanto os ajustes são importantes e trazem enormes benefícios.

Tanto o financiamento imobiliário quanto o nível de emprego ainda continuam com bons sinais e por essa razão deixam o mercado imobiliário com perspectivas bastante positivas.

Acredito portanto que a desaceleração é positiva e além de trazer boas oportunidades deverão trazer mais sustentabilidade para o mercado imobiliário, e que aqueles que não postergarem a decisão de compra, farão bons negócios.

A compra de imóvel sempre foi e sempre será uma ótima alternativa de investimento e em momentos como este que estamos vivendo é ainda melhor.

 


Flavio Amary, presidente do Secovi







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.