26/08/2014 - 16:23
Violência urbana

Na maioria das vezes, relacionada com o consumo de drogas legalizadas, ou não,  a violência nas nossas cidades tem chocado todos nós. Talvez a velocidade da comunicação e o avanço da tecnologia nos façam ter mais contatos e de forma mais rápida com as notícias, mas o fato é que a impunidade na maior parte dos casos  tem feito proliferar a violência em todos os aspectos, e a insegurança no sentido mais amplo da palavra, deixando a população viver com índices de morte compatíveis com países em guerra.

Embora não seja leitor e nem ouvinte de notícias relacionadas à violência, impossível não saber e não tomar conhecimento de todo tipo de crime que nossa sociedade está vivenciando, crimes inclusive que seriam típicos da época medieval e incompatíveis com o século XXI.

A lei seca foi aprovada após muitos acidentes e mortes provocadas pelo uso da direção com o motorista embriagado. Sou favorável a essa proibição e como cidadão tenho respeitado a legislação embora nunca tenha sido alvo de qualquer tipo de fiscalização.

Entretanto, não podemos aceitar que a lei não seja cumprida. Em vários países do mundo “civilizado” a legislação permite que se dirija quando se consome uma ou duas doses de bebida alcoólica, o que não é o caso de nossa legislação, mas é a certeza da impunidade causada pela falta de fiscalização que traz a insegurança.

Hoje, lamentavelmente,  existem aplicativos nos celulares e comunicação através das redes sociais para alertar onde estão acontecendo as poucas e  eventuais blitz policiais, inaceitável e cúmplices aqueles que alertam pessoas embriagadas a fugir da fiscalização policial.

Embora não concorde com alguns termos da legislação,  a lei foi aprovada e  temos que fazê-la ser cumprida por todos. A polícia, responsável pelo cumprimento, deveria fiscalizar todos nas portas de bares, restaurantes, boates, shows, festas, enfim todos os pontos em que existe o consumo de álcool e evitar com que aqueles que consumiram assumam a direção.

Pode servir como justificativa a falta de efetivos para que toda essa fiscalização aconteça, estou de acordo pois a polícia é mal remunerada e em número insuficiente para atender toda a demanda da situação real de insegurança que vivemos, pois então que se crie formas de reverter o aumento das multas no aumento da renda dos fiscais ou então que se crie ou terceirize essa fiscalização. O que não podemos mais aceitar em nossa sociedade é que leis criadas e mesmo que não cumpridas não sejam objeto de  fiscalização e que aqueles que as cumprem sejam penalizados de alguma forma.  

Como sempre e em vários temas temos uma característica de aumentar nossas restrições ao limite e sem a condição de fiscalizar, prejudicamos aqueles que são cumpridores da legislação.

Já fui por diversas vezes ridicularizado por pessoas que na certeza da impunidade e por não acreditarem em uma fiscalização presente assumem o risco de acabar com suas vidas e a de terceiros inocentes  quando sentam no volante das mais novas armas das cidades. Precisamos ter uma fiscalização realmente eficiente e anterior aos acidentes, para que aqueles que obedecem as leis sejam respeitados e não ridicularizados.

Quantas vidas ainda precisarão ser perdidas para que a sociedade, como um todo, seja consciente ao ponto de coibir de forma definitiva a direção de embriagados?







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.