15/07/2019 - 13:50
Transportando a massa operária
 Foto: Divulgação 

Pátio de manobras da estação ao lado do armazém da fábrica, em 1925

Foram praticamente 60 anos que os bondes circularam com grande contingente de trabalhadores, estudantes, garantindo os passeios das famílias e sendo o principal meio de locomoção entre Votorantim e Sorocaba.

Em cada banco estava alguém a meditar sobre a vida, pensando nas obrigações e com o desejo de dias melhores. Enquanto os vagões percorriam os trilhos da estrada férrea era possível ver belas paisagens como atrás da cachoeira da Chave e as barragens do Votocel e Vila Olímpia.

O trecho de aproximadamente 13 quilômetros tinha início na estação Paula Souza, parava na Vila Assis para atender aos bairros do Além Ponte e prosseguia até as plataformas da Parada do Alto, Ângelo Vial e Largo da Estação, no antigo centro de Votorantim. Em alguns horários seguiam até o Votocel e Santa Helena. A linha férrea era finalizada na Light.

A cena que ficou marcada na memória de todos era observar a massa operária desembarcando para o turno de trabalho e depois o retorno às suas casas. A geração de empregos era tão grande no distrito industrial, principalmente na maior empregadora, a fábrica de tecidos Votorantim, que se fazia necessário o reforço de operários de Sorocaba.

Todos os dias pareciam iguais, o mesmo fluxo de passageiros, com as composições contando com bondes exclusivos para mulheres e crianças. Assim foi sendo marcado o vai e vem por décadas. Sem contar os vagões que encaminhavam as marmitas de operários e quando necessário, um trolinho era anexado para levar urnas funerárias para o enterro em Sorocaba, só depois é que Votorantim passou a ter o próprio cemitério.

Mas não eram só passageiros transportados, a via-férrea também conduzia o escoamento de parte da produção da S. A. Indústrias Votorantim e insumos como carvão e escórias para alimentar os fornos das empresas.

O atendimento de passageiros foi extinto somente em 1966, não restando outra alternativa a não ser se deslocar por ônibus. O transporte de cargas ainda prosseguiu, mas tudo foi se acabando aos poucos.

 

Cesar Silva é jornalista e autor de três livros sobre a história local

Visite a Fanpage: Histórias da Minha Cidade –Votorantim

 

Coluna publicada na página 14 da edição nº325, do jornal Gazeta de Votorantim, de 13 a 19 de julho de 2019.







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.