12/04/2020 - 15:07
O Grêmio Desportivo Cachoeira de 2016 Por Kaká Martins
 Foto: Fabrício Lara / Colaboração 

Cachoeira 2016

Kaká Martins


Cachoeira e Paulista fizeram naquele 17 de julho de 2016 uma das finais mais técnicas e "tensas" do varzeano de Votorantim.

O jogo tem registro em vídeo no meu YouTube (Kaká Martins), e também serviu como base de um documentário (TCC de faculdade), com o nome de "O lado B do futebol”.

O ano consagrou o 8° título do time do bairro da Chave, levando a torcida e comunidade à loucura com uma comemoração digna do maior campeão de Votorantim. Uma marca que pode ser alcançada pelo Rio Acima, ou o Votocel com 6 certames cada, e o Jd. Clarice que tem 5 estrelas na camisa.

O G.D. Cachoeira da Chave venceu em 87, 88, 90, 2007 e 2008, 2013, 2015 e 2016.

Vai ser difícil alguém alcançar essa marca. Quem ousa?

O time simplesmente chegou as finais de 2012 à 2016, conquistando 3 "canecos" em 5 disputados, quando a várzea já estava nivelada "por cima", e com altos investimentos dos adversários.

O ano marcou a despedida do lateral Nine, irmão de Iéio, um dos grandes incentivadores e polêmico jogador/dirigente da várzea, que, junto com a diretoria e patrocinadores da cidade, trouxe o técnico e também renomado dirigente Rony Park.

A parceria começou um ano antes, e já havia sido consagrada com o título em cima do Grêmio São João.

Mas 2016 ficava marcado pela qualidade técnica e facilidade como o "Cachú" envolvia seus adversários, com ataques rápidos, defesa segura e meio campo com nível técnico profissional.

Paulão, o arqueiro experiente que dava segurança para sua defesa, foi uma das armas daquela equipe, e quando era acionado, correspondia a altura "seu valor" e confiança da torcida.

Os laterais eram o veterano Nine e Rafael, a dupla de Zaga com Palito e Wesley Gabú, era um misto de experiência, e garantia de bom posicionamento e raça. No meio campo, Armando, Alisson, Bolacha e Diogo Pires.

Bolacha ainda é um dos volantes do futebol regional mais cobiçados, e sempre é aposta de ótima distribuição de bolas para o ataque, além da marcação implacável em cima dos armadores adversários. Ele neutralizou praticamente todas as jogadas do Paulista, e nos jogos do time naquele bicampeonato.

É uma lenda do futebol.

Diogo Pires, é a garantia do espetáculo. Toques refinados, belos gols, sintonia e calma com os companheiros, além da frieza de lidar com o placar adverso, Diogo sempre teve um "coelho da cartola", e também é outra lenda da nossa várzea. 

No ataque Leandro e Luciano Pintinho. O camisa 09, Pintinho, que veio do "Show Bol" com status de craque, simplesmente foi responsável por mais da metade dos gols do time naquele certame, e sua presença em campo, era garantia de bom público, gols e ótimos lances.

Esse foi o "Super Time" da várzea de 2016.

Incontestável Cachoeira da Chave.

Semana que vem tem mais!

 

 

Kaká Martins é colunista da Gazeta de Votorantim, 

radialista e narrador esportivo


Coluna publicada na página 12, da edição nº 359 da Gazeta de Votorantim, de 10 a 17 de abril de 2020.

 







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.