26/03/2015 - 11:47
Um dia memorável na história da jovem Votorantim


Mais um dia 27 de março  se aproximando,  dia em que  nossa cidade foi elevada a condição de Munícipio, todos os anos várias comemorações, homenagens, títulos e diplomas são concedidos a um número enorme de pessoas e entidades. Muitos de forma amplamente merecida, outros nem tanto, agraciadas ou agraciados mais  pelo puxa-saquismo explicito e interesses políticos-pessoais.

Nesse contexto volto em 07/02/1971, mais precisamente no Estádio Humberto Reale, na Avenida Nogueira Padilha em Sorocaba, numa linda manhã de domingo, onde o então forte e poderoso time do Esporte Clube São Bento, mandava seus jogos pela 1ª. Divisão do Campeonato Paulista e que seria palco da Decisão do Campeonato Varzeano de Sorocaba do ano de 1970, denominado Copa Pelé.

De um lado o Golias, representado pela poderosa equipe do Brahma, bicampeão da várzea sorocabana e buscando seu terceiro título consecutivo, formada quase em sua totalidade por ex-jogadores profissionais da extinta equipe Estrada de Ferro Sorocabana, representando a Poderosa Cidade de Sorocaba.

Do outro lado o Davi, formado por um bando  de garotos, dos campinhos do Bairro do Rio Acima, que formavam a equipe do Esporte Clube Rio Acima. As camisas tricolores, idênticas as do São Paulo FC, conhecido como o Galo de Ouro, representando na ocasião o nossa querida  Votorantim, o antigo distrito, emancipado da Cidade de Sorocaba e àapenas três anos elevado a condição de município.

Durante toda a semana  não se falava em outra coisa, todo mundo queria ver o grande jogo. Uma multidão naquele domingo, mais parecendo uma romaria de torcedores a pé, nos poucos carros que circulavam na época, no precário transporte coletivo, mas principalmente através dos caminhões da distribuidora de bebidas Antártica, cuja família Waltoran, morava ou mora e pertencia a Votorantim.

O  resultado de tudo isso mais de 10.000 torcedores no Estádio Humberto Reale, e o ingresso era pago, talvez equivalente a uns R$ 2,00 a valores de hoje, mas Votorantim compareceu em peso, ocupando praticamente 80 % das arquibancadas, na esperança de ver aquele humilde time da nossa jovem cidade vitorioso.

Quandochegamos ao Estádio  e nos dirigimos aos vestiários que ficavam embaixo da ala mais nobre das arquibancadas, ponto de concentração da torcida da equipe sorocabana, somos homenageados com todos os tipos de impropérios e xingamentos, principalmente os discriminatórios, bando de caipira, pé vermelho do distrito, volta para o sitio, vão tomar um monte, aposto 50 contra 1, não vão encontrar o caminho de volta  e outros mais pejorativos.

Todo mundo fardado, entramos no gramado, uma multidão, estádio lotado, as três rádios de Sorocaba, presentes - Rádio Cacique, Rádio Vanguarda, Rádio Clube, os Jornais Cruzeiro do Sul e Diário de Sorocaba, do outro lado o Golias, o bicho papão, jogadores profissionais conhecidos e famosos, um banco de reservas recheado de craques e nosso time um bando de meninos, capitaneados por um grupo mais experiente e um pouco mais velho e que disputou o campeonato inteiro com apenas 16 jogadores.

Começa a partida e aquele poderoso time do Brahma, dirigido pelo conhecido técnico Pantan, percebe que não teria uma parada fácil pela frente, os meninos corriam e muito e os mais experientes organizavam nosso time em campo, sob o comando do nosso querido Chico Amorim, termina o primeiro tempo sem gols.

Começa o segundo tempo o jogo continua equilibrado, mas acontece o primeirogol do poderoso time do  Brahma, todos pensavam agora vai ser uma goleada, abriu a porteira, mas nada disso aconteceu. Recuperando rapidamente o controle do jogo, os meninos do Galo de Ouro viraram o jogo em apenas cinco minutos, com dois gols do Serginho e caminhou assim até  o apito final e a explosão dos torcedores. O Golias tinha sucumbido diante do pequeno  Davi, carreata, passeata, festa o dia inteiro no Bairro do Rio Acima, e na cidade, o Galo de Ouro era o campeão.

No dia seguinte as rádios e jornais sorocabanos davam destaque a nossa conquista, enfim um marco memorável na história esportiva da nossa jovem cidade. Mas aquela decisão tinha um sentido mais amplo, esteve em jogo ainda os resquícios da emancipação, da luta dos vanguardeiros, da vitória do SIM e ficou evidente o orgulho daquele povo do ex-distrito abandonado, através daqueles valentes meninos, que honraram o nome da jovem Votorantim.

Passados hoje 44 anos daquela magnifica conquista completados no ultimo dia 07/02/2015, esses valorosos atletas amadores, nunca tiveram um reconhecimento público, uma lembrança marcante ao longo de todos esses anos, alguns infelizmente já falecidos, mas existem as famílias que ficariam felizes e honradas pela lembrança.

Importante lembrar também que o próprio Esporte Clube Rio Acima, nunca prestou uma homenagem digna aos ex-atletas, pois infelizmente a partir de uma determinada época, passou a ser gerido por Diretorias medíocres e interessadas mais em seus assuntos pessoais, ignorando a história, acervo e o patrimônio do clube.

Nesse descaminho,chegou-se ao absurdo de pintar um espaço no muro da Sede Social,como lembrançados  seis títulos conquistados em Votorantim. O primeiro deles, de forma muito positiva e heroica em 1975, também com uma meninada do bairro, os outros cinco numa época mais recente, formando grandes times com um bando de jogadores de fora, desconhecidos e gastando uma fortuna.

O reflexo disso, o time não tem mais torcedores fieis, não desenvolve um trabalho de base com equipes nas categorias, mirim,  infantil, juvenil ou as de congraçamento e união, como veteranos, cinquentões, pré-históricos, não forma e nem estimula  a formação de novos jogadorese o Bairro não se identifica mais com o Esporte Clube Rio Acima.

Acreditem ou não, o maior galardão do clube, um fato histórico, heróico, foi omitido dos muros da Sede Social do Clube, quando  deveria ser a estrela dourada, maior e principal, eternizada em todos os  uniformes e recintos da sede social.

Mas não tem problema meninos heróis, hoje senhores, alguns lamentavelmente já partiram,  alguém sempre vai lembrar e enquanto estivermos vivos, vamos manter a esperança de algum dia, alguém ou a história nos coloquem no devido e merecido lugar.

A equipe era formada pelos seguintes jogadores:

Goleiros: Lazinho e Serrinha (in memoria)

Zagueiros: Serginho, Zecão, João de Matos (in memoria), Nardinho (in memoria), Moura (in memoria) e Rubinho

Meio de Campo: Rolinha, Dias e Aroldinho

Atacantes: Darcizinho, Osmir, Toninho Munhoz, Narciso (Indio)

A formação da equipe da grande final foi: Lazinho, depois Serrinha, Serginho, Zecão, João de Matos e Nardinho, Rolinha, Dias e Aroldinho, Darcizinho, Osmir e Toninho Munhoz depois Rubinho.

 

Parabéns heróis esquecidos.

Antônio Pedro Ferraz (Toninho Munhoz)

Campeão Varzeano de Sorocaba com uma equipe de Votorantim.

 

 







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.