06/04/2015 - 14:00
O sentido da Páscoa


A comemoração da Páscoa faz parte de uma das tradições mais antigas da humanidade, atravessando milênios. Todavia a sua origem histórica e significado humano para as pessoas se perdem em meio à comercialização de ovos de chocolate e pescados. É preciso que as pessoas se conscientizem do real significado da Páscoa, para que valores ligados à fraternidade e humanidade sejam vivenciados por todas as gerações que virão.


As origens da Páscoa estão ligadas à cultura israelita, pois marca o início do seu calendário religioso, delimitando todas as outras datas religiosas constantes na Bíblia. Segundo essa tradição, é uma data instituída por Deus, a fim de que todos os filhos de Israel sempre se lembrem de sua libertação como escravos do Egito pelas mãos do Todo Poderoso, para que sirvam a um único Deus, diferentemente da religião egípcia.


O simbolismo atribuído à Pascoa no Novo Testamento possui também esse significado de libertação e passagem. A ressurreição de Jesus Cristo na Páscoa consagra esse rito de passagem que resgata a todos da escravidão do pecado para livres servir a Deus. Esse “servir” diz respeito ao despertar do mundo para uma sociedade mais justa, com mais amor ao próximo, caridade e igualdade de tratamento e oportunidades. Todos são iguais aos olhos de Deus.


O que torna difícil entender é como uma data tão importante de consagração de todos em torno de um sentimento tão nobre possa estar se perdendo em meio à banalização do seu comércio! Associar o comércio do “ovo de chocolate” a esse sentimento religioso é algo descabido e oportunista, pois se baseia numa festividade de primavera celebrada por Assírios, Babilônios, em adoração a deusa Ishtar (deusa da fertilidade). Essa festa pagã utilizava ovos e coelhos como simbolismos.


Em nosso contexto atual, o que se percebe é a gradual incorporação econômica dos sentimentos populares. Reduzir o significado da Páscoa à compra e oferecimento de ovos de chocolate é desapropriar o sentimento de humanidade que podemos alimentar ao próximo e a nós mesmos. O significado de libertação é amordaçado a ritos consumistas, que aos poucos esvaziam o significado de amor, solidariedade e compaixão. Acabamos por nos escravizar em um ritmo desenfreado de acumulo de capitais somente para usufruirmos de prazeres materiais que em nada agrega ao nosso “SER”.


Por isso que nessa Páscoa todos podem fazer algo diferente do que consumir. Reúna a família, vizinhos e busque dar conforto a quem mais precisa. Solidarizar-se é compartilhar o sentimento do outro, buscando o conforto mútuo e nele se sentindo bem.
É assim que nos tornamos humanos. É assim que é a Páscoa!







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.