06/04/2015 - 17:43
Justiça que tarda, pode significar dengue


A última edição da Gazeta de Votorantim trouxe à baila, um pedido em caráter Liminar para que fosse autorizada a entrar em casas e terrenos abandonados ou que os seus proprietários não autorizassem os agentes de saúde a tanto.


Dizia a notícia que tal pedido fora intentado em 25 de fevereiro e que em 27 de março, ou seja, mais de 30 dias o pedido não havia sido julgado.
De há muito tenho ouvido que Justiça que Tarda não é Justiça, mas nesse caso, Justiça que Tarda, pode representar Dengue.


Todos sabemos que o ciclo de reprodução do mosquito é muito rápido e demoras como essa podem ser até fatais para algumas pessoas.
Entretanto, não nos parece esse, mais um caso em que o travamento do poder judiciário pela falta de estrutura ou ainda de funcionários prejudiquem o andamento de processos. O que nos pareceu num primeiro momento, foi que não foi tratado o pedido com a urgência que deveria.


Num primeiro momento, discutiu-se em quais locais a prefeitura pretendia entrar, quais os endereços e quais as razões, quando na verdade a Prefeitura pretendia que se lhes permitisse um mandado genérico, contra todos aqueles que se opusessem à uma justa intervenção do município que briga de maneira cruel contra um mosquito que tem até aqui vencido a batalha.


Se o pretendido pela Prefeitura foi deferido nos moldes que solicitou, nada justifica tanta demora para dar a ela instrumento fundamental para o exercício da fiscalização e combate à doença que assola o município.
Em tempos onde a Administração Pública é tão criticada pela omissão ou pela baixa velocidade em suas ações, é preciso repensar o papel do Judiciário na distribuição da Justiça.


A justiça que tarda, falha. E falha justamente porque tarda. Não
podemos pensar na justiça do amanhã. Queremos a justiça do hoje.

publicado na edição n° 112 de 03 de a 10 de abril de 2015 do Jornal Gazeta de Votorantim, na página 09







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.