11/05/2015 - 10:25
Dia das Mães!




Caros amigos, o Dia das Mães, comemorado no segundo domingo do mês de maio, é uma data que deveria ser dedicada mais à reflexão do que propriamente a comemoração.
Sim, pois realmente, existem pessoas maravilhosas e de extremo valor, que além de terem gerado seus filhos quando ainda eram jovens, também os criaram com muito amor, carinho e dedicação. Acima de tudo, essas pessoas chegaram à idade madura sem nunca terem se afastado deles, assistindo-os em suas necessidades físicas e espirituais, sempre buscando orientá-los de modo sensato. Muitas vezes trabalharam horas extras, buscando receber, no final do mês, um salário maior e, com isso, darem mais conforto aos filhos.
Por outro lado, todos nós sabemos da existência de filhos ingratos, que não valorizam o esforço de suas mães. Acham-se legítimos merecedores passivos, de todos os sacrifícios feitos pelos pais, e ainda alegam não verem a hora de “se libertarem” do amor que consideram um jugo. Revoltados em razão de uma educação recebida nos bailes funks e nos bares de esquina, não retribuem, nem de longe, o carinho e a dedicação recebida.
Há os filhos, também, que sempre exigindo mais de si mesmos, a cada dia, conseguem lugar de destaque na sociedade, como profissionais bem remunerados. Colocam-se, por isso, como seres superiores ou mais inteligentes que os pais, esquecendo que eles foram a base sólida e fundamental do progresso alcançado.
No Dia das Mães, precisamos pensar naquelas, que apesar de não terem gerado seus filhos, os recolheram e os sustentaram com mais fartura material e carinho do que muitas mães biológicas seriam capazes. Elas devem ser lembradas e homenageadas nesse dia, com especial deferência, pois são merecedoras de muito respeito.
Ao contrário, para que haja justiça, o dia não pode ser consagrado àquelas mulheres que abandonaram seus filhos, rejeitando-os e negando a eles o carinho e o amparo devidos.
No inicio deste texto, eu havia mencionado que a data do Dia das Mães é mais para ser analisada do que simplesmente comemorada, porque também devemos lembrar que nos asilos, e nas casas de repouso para idosos, há mães que sequer recebem a visita dos filhos que geraram e sustentaram. Por outro lado, felizmente, ainda existem pessoas que procuram levar um pouco de amparo e atenção carinhosa a essas idosas que já desfrutaram da vida ao lado de seus familiares, e agora, apenas curtem momentos ao lado de outras, que assim como elas, não cansam de repetir: “Faz tempo que não vejo meus filhos... Será que hoje, sendo Dia das Mães, algum deles virá me visitar?”
Finalizando, deixo registrado um carinhoso abraço a todas as mães, principalmente para a minha saudosa e querida mamãe, Áurea Timóteo Brotas, uma pessoa maravilhosa, batalhadora, e muito enérgica, que soube educar seus filhos com muita competência, amor e carinho.
Obrigado mamãe!

Texto publicado  na edição nº 117 da Gazeta de Votorantim de 9 a 15 de maio de 2015







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.