15/06/2015 - 10:25
Separando o Joio do Trigo


Confesso meus amigos a minha preocupação com o clima de provocação que somos obrigados a testemunhar através das manifestações de uma das ditas “minorias injustiçadas e perseguidas” deste nosso Brasil.
Não farei a tradicional introdução “politicamente correta” que cerca toda opinião sobre este assunto, escrevendo um texto de “justificação de 5864 palavras”, pois entendo que vivemos “ainda” em uma democracia. Entretanto, esclareço para aqueles que após lerem esta coluna e entenderem que este Colunista é um radical, alerto desde já: EU NÃO SOU HOMOFÓBICO.
Após assistir as lamentáveis manifestações contra as religiões cristãs, apresentadas na 19º Parada Gay de São Paulo, ficou muito claro para mim que as mesmas são planejadas por grupos com ideais específicos, e que se aproveitam de um grande movimento de massa para atacar a outro grupo social. Infelizmente, os Homossexuais entram nesta estória como “para-choque” do processo, recebendo todo o impacto das reações advindas de tais provocações.
Noticiado como um “encontro para pedir respeito à diversidade”, em meio a grande festa e alegria dos participantes, somos brindados com provocações de baixo nível, apoiadas pelos governos Federal, Estadual e Municipal, financiado com dinheiro público oriundo de impostos, que pasmem, em parte vem dos Cristãos!
O tema da Parada deste ano,  já denota um “q” de  egoísmo escondido nas entrelinhas. O tema foi: “Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim: respeitem-me!”, inspirado na música tema de Gabriela, a organização quer resgatar a alegria do público LGBT e celebrar as diferentes identidades e o respeito à diversidade, que eu acho que é somente a DELES!
Os Cristãos, dentro desta visão não possuem “identidade” e não fazem parte desta “diversidade”? Pregam o combate ao preconceito, sendo preconceituosos? Afinal, que tipo de respeito querem?
São nesses momentos, que eu vejo um pais doente e sem rumo. Estamos nos desunindo em vez de nos unir, nos deixando levar por grupos radicais que pregam a justiça social e no entanto oferecem com solução o caminho do confronto, da provocação e desrespeito como solução dos problemas.
Usam a população de homossexuais e a atiram sobre a população de cristãos sem nenhum escrúpulo, com objetivo claro de se obter reações e utilizá-las como combustível para alimentar o confronto inicialmente criado por eles. E é nesta espiral crescente da discordância que estes grupos encontram maneiras de crescer e destruir a fé religiosa tradicional! Quem se opor será tachado de fascista.
A questão é simples: A fé Cristã não pode ser adaptada a interesses de pessoas ou grupos. Entretanto, neste caso em especifico, as Igrejas não proíbem NINGUÉM de frequentá-las.
Somos a “menina dos olhos” da criação de DEUS, independente de sermos “hetero” ou “homo”.  Somos todos Irmãos e compartilhamos o mesmo País! Vamos acordar deste efeito “Manada” e começar a utilizar a graça do “Pensar”.
Noticia: 19º Parada Gay de São Paulo e sua repercussão na mídia em 07/06/2015.
Adilson Carlos Prestes
Sugestões ou Críticas para Coluna Análise – e.mail: coluna.analise@bol.com.br







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.