14/09/2015 - 13:59
A crise chegou!


Confesso meu espanto e preocupação com os rumos que a nossa economia nacional tomou, em particular a partir do inicio deste ano. O atual momento nos remete a tempos passados que já achávamos superados.

Não advogarei em prol de partidos políticos. Entendi desde cedo que nunca deveria adotar uma postura partidária, procurando manter a isenção e independência de pensamento, sem se desprender da realidade e contrariar minhas convicções. Não quero com isso reduzir a importância dos partidos políticos, entretanto, como eleitor e cidadão, eu prezo pela minha liberdade de pensamento e escolha, fugindo de qualquer tipo de “cabresto”.
A liberdade de criticar e o direito de ir e vir em nossos julgamentos é inalienável.

Desde a década de 1980, quando iniciei a minha vida profissional vi o Brasil mergulhado em sucessivas crises econômicas, regadas com boas doses de corrupção! Não era inovação da época, pois já vínhamos nesta toada desde muito antes.

Naufragamos em inúmeros planos econômicos e sucessivas trocas de moedas, com uma inflação que corroía nossos salários de forma brutal. A partir do Plano Real, a economia encontrou o seu “norte”, freando a inflação que nos assolava. A partir dos anos 2000, veio o progresso e o país começou a se desenvolver rapidamente. De repente já fazíamos parte de um seleto grupo de países com peso na economia global, os BRIC´s. A Petrobrás com suas descobertas no pré-sal nos colocava a perspectiva de sermos lideres na produção de petróleo. O desemprego virou coisa do passado. A população, enfim, com acesso facilitado a casa própria e ao seu carro novo. Até sede de copa do mundo e olimpíadas viramos!

De repente, tudo ruiu! Petrobrás envolta em corrupção, setor elétrico deficitário, déficit do tesouro nacional (R$ 2,6 trilhões), empréstimos do BNDES a países estrangeiros em detrimento de projetos nacionais, corrupção entre partidos e empreiteiras, rebaixamento internacional do país, Desemprego, e para parar por aí, pois o volume extrapola o limite desta coluna.
Como consequência, vemos o Governo Federal se batendo em uma crise econômica, fiscal e politica, com desfecho imprevisível.
Daí eu me pergunto: Quantos anos de atraso isto custará ao país e a nossas vidas?

Até aqui falei somente do país, porém o que motivou esta coluna foi a noticia sobre a convocação de uma reunião entre o nosso Prefeito e Vereadores onde foi explanada a atual situação da arrecadação pública e de sua acentuada queda nos últimos três meses, em virtude da crise que nos envolve. A saída imediata foi a contenção de gastos, com possíveis reduções nos serviços públicos. Outras medidas virão, pois o Governo Municipal deverá se adequar em tamanho e planejamento para enfrentar a queda de arrecadação para este e o próximo ano. Ou seja, a crise chegou!

Diante do exposto fica aqui uma sugestão: Acompanhem, cobrem e critiquem nossos Governantes, dentro da legalidade, e de forma constante! Quanto aos elogios, manifeste-os somente no momento do voto, que é secreto e somente seu!

Notícia: Prefeito chama Vereadores para falar sobre a crise econômica – Gazeta de Votorantim de 05/09/2015

Coluna publicada na página 06 da edição 135 da Gazeta de Votorantim de 12 a 18 de setembro de 2015







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.