13/10/2015 - 14:06
Escola “Comendador Pereira Inácio”: 95 anos ensinando gerações
 Foto: Divulgação 

Alunos do 3º ano do Grupo Escolar “Comendador Pereira Inácio”. Professora Ana Rita Pires

Uma das mais tradicionais e queridas escolas de Votorantim, o “Comendador Pereira Inácio”, está completando 95 anos de existência, mantendo os fundamentos educacionais que inspiraram sua fundação: o espírito de família, o espírito de cultura e o objetivo da formação de cidadãos que sejam úteis a sociedade, e que façam de sua existência, uma vida feliz.

O primeiro prédio educacional da cidade foi criado a partir de 1899 e chamava-se Escolas Reunidas “Antonio Pereira Inácio”. Posteriormente, foi oficializado e, em 1920 ficou conhecido como Grupo Escolar “Com. Pereira Inácio” conforme destaca a foto do ano de 1947, que pode ser observada nesta página.

Naquele tempo, o “Comendador Pereira Inácio” era o único estabelecimento, que contava com as quatro séries do 1º grau; por isso, acolhia alunos de todos os bairros de Votorantim, inclusive de Santa Helena, Baltar, Jurupará, Parada do Alto e Barcelona.
Pelas carteiras duplas da escola, que tinha um buraco no meio para colocar tinta e na parte superior, canaletas para abrigar os lápis, passaram várias gerações de votorantinenses.

Curiosidades e costumes da época
-Não havia naquele tempo, década de 50, classe mista, meninos e meninas ficavam em classes separadas.
-O sinal de entrada e saída de alunos era dado através de um sino de mão, pelo servente Antonio.
-Não havia também, merenda escolar, os alunos, inclusive os professores, traziam o lanche de casa.
-Muitos alunos pobres iam à aula descalço.
-Quando a classe recebia alguma visita, todos os alunos ficavam em pé em sinal de respeito.
-Havia festa de formatura para os alunos que terminavam a 4ª série e que recebiam o diploma, de calças curtas, no palco do cinema.
-A maioria dos alunos copiava as lições à lápis, somente alguns tinham caneta, não havia ainda a bic. Se o aluno faltasse três dias seguidos da aula, o servente ia a sua casa na vila operária, saber se ele estava doente e precisando de ajuda.

Desses antigos bancos escolares, saíram alunos que galgaram posições de destaque na vida, como engenheiros, químicos, administradores, gerentes, médicos, advogados, professores, homens públicos, que chegaram a administrar a cidade, como: o 1ª Prefeito Pedro Augusto Rangel, Luiz do Patrocino Fernandes e Erinaldo Alves da Silva; formaram também excelentes profissionais e ótimos chefes de família.

Essa escola-mãe, como carinhosamente conhecemos hoje, sempre teve à frente bons dirigentes. Quem não se lembra dos diretores Armando Rizzo, Maria do Carmo Gomes, José Peiretti, Ondina Seabra, Gamaliel Pirajá Lopes, Nair Rusconi e os abnegados professores do meu tempo (1947-1951): Itoby de Carvalho e sua esposa Neyde, Ana Rita Pires, Genoveva Labonia (minha 1ª Professora), Mafalda Bernardi, Isidoro, Heide Belini, Marilene Reginato, Ignez de Freitas, Waldomiro e Itália Miranda, e tantas outras dedicadas educadoras e educadores.

Eram auxiliares da escola na época: Arão, Joaquim, Antonio Marciano, Ursula Alvarenga, Bárbara Costa, Zimar Alarcon e Francisca Ferreira, Otávio (Inspetor de Alunos); pessoas que marcaram a vida da escola e deixaram muitas saudades.

Através deles, homenageamos todos os diretores, professores, funcionários e alunos que passaram pelos bancos escolares da escola.
Nessa longa caminhada, a escola Comendador Pereira Inácio escreveu uma das mais belas páginas da história da vida educacional da cidade. Como ex-aluno, orgulho-me de fazer parte dessa bonita história. Parabéns a todos.

UMA CIDADE SOMENTE SE DESENVOLVE E CRESCE, QUANDO VALORIZA A SUA HISTÓRIA.







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.