14/03/2016 - 16:20
Dia Internacional da Mulher


No dia 8 de Março de 1857, na cidade de Nova Iorque, numa fábrica de tecelagem chamada Cotton, mulheres tecelãs entraram em greve por melhores condições profissionais. Entre suas reivindicações estaria a redução da jornada de trabalho. Há informações divergentes sobre o fato, mas se comenta, internacionalmente, que durante a operação policial elas teriam se refugiado no interior da fábrica, onde, por causas não esclarecidas oficialmente, teria ocorrido um incêndio que ceifou a vida de 129 tecelãs grevistas.

Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres, realizada na Dinamarca, foi proposto que o dia 8 de março fosse declarado “Dia Internacional da Mulher” em homenagem às operárias de Nova Iorque. No Brasil essa data foi adotada e oficialmente passou a ser o “Dia Internacional da Mulher”, independentemente da veracidade total ou parcial da história tomada como seu motivo fundamental. Tal comemoração está sempre intimamente ligada aos movimentos feministas, e sendo assim, conclamo a todos para comemorar esse dia com responsabilidade e coerência.

Nesse sentido, entre tantas mensagens que li e ouvi, escolhi uma para citar e levar à reflexão profunda. É de autoria de Márcia Brizolla, estudante de psicologia racional e companheira do NUPEP.

“Superar a ilusão da perfeição artificial e física! Descobrir a luz da razão... Razão de ser amorosa, mesmo quando o ódio desponta; ser valente, mesmo quando o medo acovarda; ser lúcida, mesmo quando as fantasias corrompem...”.

Se as mulheres são dotadas dos mesmos potenciais mentais que os homens, é porque, certamente, também não nasceram para ser meras coadjuvantes deles na luta pela construção de uma sociedade moralmente mais justa, logo, não deveriam depender materialmente deles...

Em algumas profissões, o número de profissionais do sexo masculino é bastante superior, mas ninguém pode menosprezar a mulher pela natureza de um trabalho. Elas precisam conquistar a independência financeira e principalmente a intelectual, em relação ao namorado, amante ou marido. Reconheço que um percentual das mulheres, embora reduzido, tem mostrado seu valor.

Nesta semana comemorativa ao Dia Internacional da Mulher, aproveito para cumprimentar todas as mulheres, loiras, morenas, amarelas, ruivas, negras e mulatas, pelo esforço e pela luta. Parabéns!

 

Coluna publicada na página 12 da edição 159 da Gazeta de Votorantim de 12 a 18 de março







Deixe seu Comentário

Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.