Anterior

Fernando Godoy disputa o Pan-Americano de Jiu-Jítsu

11/03/2015

Anterior

Próxima

Técnico tem casa invadida na Vila Rodrigues

11/03/2015

Próxima
11/03/2015 - 15:08
Dia Mundial do Rim: alerta para a prevenção às infecções urinárias

Calor, umidade e higienização incorreta podem contribuir para o surgimento da chamada cistite.


No dia 12 de março, comemora-se o Dia Mundial do Rim, que não por acaso é lembrado, justamente, no Verão, época em que as praias e as piscinas são as grandes pedidas para se refrescar.

Mas, não somente hoje, como em todo o período de calor, é preciso atenção especial para manter a saúde em dia. “Nos dias de calor intenso, é comum haver uma incidência maior de infecção do trato urinário (ITU), devido ao aumento da transpiração e da desidratação”, alerta o urologista do Hospital Santo Antonio de Votorantim, Dr. Fábio Sousa.

De acordo com o especialista, a infecção urinária mais comum nesse período é a “cistite”, causada, geralmente, por bactérias do tipo “Escherichia coli”.  O mal acomete a bexiga, onde os fungos se instalam, após passar pelas partes íntimas e o canal da uretra.

Infecções, como a cistite, costumam ser mais frequentes em mulheres. “Elas têm maior facilidade de contrair a doença, devido ao menor comprimento do canal urinário.  Isto facilita que as bactérias presentes na vagina e nas fezes cheguem à bexiga. Já, nos homens, estas infecções são menos comuns”, explica Dr. Fábio.

Ainda, em outros períodos do ano, além de no Verão, a doença igualmente pode se proliferar, principalmente, nas mulheres. “Nos períodos das primeiras relações sexuais, na gravidez, menopausa e, também, na terceira idade, a cistite pode encontrar um cenário perfeito para a proliferação”, completa o médico urologista do Hospital Santo Antonio de Votorantim.

Outro ponto que também contribui para o surgimento da infecção é a maneira inadequada de usar o papel higiênico, na direção ânus-vagina, que facilita a migração de bactérias intestinais até a bexiga. O correto é o uso do papel na direção contrária. Além disto, é recomendável evitar a utilização do absorvente íntimo por longos períodos de tempo, assim como o uso prolongado de roupas íntimas de tecido sintético. Para Dr. Fábio, atitudes corriqueiras ainda favorecem o aparecimento da infecção urinária, como, por exemplo, ingerir pouca água.  “Aqueles que bebem pouco líquido têm o esvaziamento da bexiga em menor escala e isto favorece a multiplicação de bactérias. O desequilíbrio da flora intestinal e algumas doenças dos rins e das vias urinárias também podem resultar em cistite”, afirma.

As crianças igualmente podem ser vítimas da infecção urinária. Por isto, é preciso ficar atento aos primeiros sinais da doença, como: fazer xixi na calça, dor ao urinar, entre outras mudanças no comportamento. Já, nos adultos, os sintomas mais comuns são: queimação e ardor no canal da urina, vontade de urinar constantemente e em pequenas quantidades, sentindo dor ou desconforto na região da bexiga. “A urina pode se apresentar mais turva e com mau cheiro”, acrescenta o especialista.

O diagnóstico da cistite é confirmado pelo exame de urina e o tratamento é feito com antibiótico específico. “Na maioria das vezes, o tratamento dura em torno de 7 a 10 dias, sem deixar sequelas”, fala Dr. Fábio.

Dicas para evitar a cistite:

- Ingerir bastante líquido (não alcóolico)

- Alimentação saudável, rica em legumes, verduras e frutas

- Higienização íntima adequada

- Evitar calças apertadas e roupas íntimas de tecidos sintéticos

- Fazer sexo seguro (com camisinha)

(Fonte: Hospital Santo Antonio de Votorantim - Dr. Fábio Sousa, médico urologista)










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.