Anterior

Casa do Idoso celebra seis anos de existência

29/07/2017

Anterior

Próxima

Residência é furtada no Jardim Bandeirantes

30/07/2017

Próxima
30/07/2017 - 12:07
PSOL realizou debate sobre a coleta de resíduos

O Partido Socialismo e Liberdade de Votorantim (PSOL) realizou, na noite de segunda-feira (24), um seminário que debateu sobre coleta seletiva, meio ambiente, finanças públicas, geração de emprego e renda, em especial a respeito da terceirização da coleta de resíduos domésticos por parte da Prefeitura de Votorantim. 

O geógrafo Thiago Leite, um dos palestrantes, explicou a importância da separação do lixo, da conscientização da população e a correta destinação do lixo que é produzido nas residências diariamente. Ele esclareceu que, antes de fazer este debate, esteve nos dois Ecopontos de Votorantim e um está abandonado. “Apenas o do Jardim São Matheus que está parcialmente em funcionamento. Isso porque quando estive lá na semana passada não havia nenhum funcionário da prefeitura no local”, disse. E completou: “Conversei com alguns moradores e quase ninguém sabia da utilidade do espaço”.

Já o presidente do PSOL de Votorantim, Rodrigo Chizolini, disse que não concorda com a contratação da empresa terceirizada (sem licitação) para realizar o serviço de coleta de resíduos domésticos na cidade, sob o argumento de redução de gastos. “Não foi bem assim que aconteceu. O serviço terceirizado, em quatro meses, poderá representar um rombo de R$ 3,4 milhões. Caso seja definitivo, haverá um gasto de R$ 700 mil, ocasionando um prejuízo de R$ 8,4 milhões em um ano”, calculou. “Como forma de comparação, se a administração pública continuasse fazendo o serviço de coleta de resíduos domésticos, o investimento seria bem menor: R$ 340 mil por mês; no ano, R$ 4 milhões”, completou.

Outro aspecto mencionado pelo presidente do PSOL de Votorantim diz respeito ao remanejamento da verba de algumas secretarias para garantir o pagamento da empresa terceirizada. 

Segundo pesquisadores, 30% dos resíduos domésticos produzidos nas cidades são possíveis de serem reciclados. “Todo o resíduo doméstico arrecadado é despejado no Aterro Sanitário, e apenas 7% são reciclados muito em função do trabalho da Cooperativa de Votorantim (Coopervot). E isso pode ser expandido, com a efetivação de uma rede de Ecopontos para o descarte de entulhos e outros materiais; criação um conselho popular de gestão de resíduos; implantação de uma Usina de Compostagem; contratação de estagiários dos cursos ambientais das universidades; transformar terrenos públicos ociosos em hortas comunitárias; fazer um canal de comunicação com sociedade sobre políticas ambientais; entre outras medidas.”

Além dos debatedores, a população votorantinense também esteve presente e fez suas colocações sobre a os temas do seminário. Todas as declarações foram acatadas e serão transcritas em um ofício que será encaminhado à Prefeitura de Votorantim nos próximos dias.

 

Texto publicado na página 06 da edição 229 da Gazeta de Votorantim de 29 de julho a 04 de agosto de 2017










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.