Anterior

Prazo para inscrições para Processo Seletivo do Governo termina neste final de semana

17/09/2017

Anterior

Próxima

Microempreendedor Individual tem até 2 de outubro para parcelar débitos

17/09/2017

Próxima
17/09/2017 - 14:27
Mudanças bruscas de temperatura afetam o sistema respiratório

Especialista fala sobre os efeitos da oscilação do clima no nosso organismo

Cuidados amenizam o desconforto durante o tempo seco (Foto: Divulgação)

Está cada vez mais difícil manter-se saudável com as mudanças frequentes de temperatura. Apesar de ainda estarmos no inverno, temos vivenciado diversas variações no tempo.
Manhãs frias, calor durante a tarde, vento ao entardecer e noites com baixas temperaturas. Tudo isso somado ao tempo seco. Um dos principais reflexos dessas mudanças climáticas é o aumento das doenças respiratórias.
 
De acordo com Dr. Arlindo Lima Neto, médico otorrinolaringologista do Hospital Santo Antonio de Votorantim (SP), com essas variações repentinas, o corpo sempre é prejudicado. “As mudanças abruptas de temperatura, principalmente na época de tempo mais seco, promovem um ressecamento grande das vias respiratórias, o que favorece o surgimento de infecções”, explica.
 
Ainda segundo o especialista, quem mais sofre com os prejuízos são os idosos, as crianças e as pessoas com problemas crônicos. “Quando acontece tudo na mesma semana também acaba sendo prejudicial, porque funciona como um agressor para a via aérea”, relata o médico. 
 
Entre as doenças mais comuns causadas por essas alterações estão as rinussinusites, laringites, bronquites e pneumonias, além da piora de doenças respiratórias, como asma, enfisema e rinite.
 
As medidas de prevenção estão relacionadas à hidratação das vias aéreas, que pode ser feita por inalações com soluções fisiológicas e também via lavagens nasais. “Algumas receitas mais caseiras, como colocar bacia com água no quarto ou um lençol molhado estendido no chão durante a noite, igualmente são válidas”, lembra Dr. Arlindo.
 
 
Baixa umidade do ar
 
O tempo está seco em grande parte do país. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a umidade do ar deve estar acima de 60%. Abaixo de 30%, considera-se estado de atenção e entre 19% e 12%, de alerta. “O cuidado precisa ser redobrado nesta época e, ao sinal de mal-estar, deve-se buscar acompanhamento médico”, finaliza. Para ajudar a amenizar o desconforto nesta estação do ano, o especialista recomenda alguns cuidados simples. Confira:
 
1. Beber cerca de dois litros de água por dia;
2. Não praticar exercícios físicos entre 10h e 17h (quando o ar está menos úmido) e preferir espaços com clima regulado, como academias;
3. Fugir do ar condicionado, pois resseca o ambiente;
4. Deixar a casa sempre limpa e arejada, uma vez que o acúmulo de poeira aumenta a incidência de problemas alérgicos e respiratórios;
5. Evitar locais fechados e com grande concentração de pessoas, como shoppings e supermercados, que podem acentuar as dificuldades respiratórias.
 
Mais informações podem ser obtidas pelo site ou pelo telefone: (15) 2101-0001.

Fonte: Assessoria de Imprensa 









Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.