Anterior

Começam as quartas de final da 23ª Copa Brasil de Futebol Sub-15

16/01/2018

Anterior

Próxima

Figueirense perde 100% de aproveitamento, mas vence Vitória nos pênaltis e está nas semifinais

17/01/2018

Próxima
17/01/2018 - 12:39
Nos pênaltis, Cruzeiro vence Bahia e está nas semifinais da Copinha
 Foto: Marcos Ferreira/ Divulgação PMV 

Jogadores da equipe mineira comemoraram a classificação após cobrança de pênaltis

                                                 -

Por Matheus Cirone - especial para a Gazeta de Votorantim 

Com emoção. Assim foi a primeira partida das quartas de finais da 23°Copa Brasil de Futebol sub-15, disputada nesta terça-feira, 16 de janeiro, no Estádio Municipal Domenico Paolo Metidieri. Cruzeiro e Bahia entraram em campo buscando vaga nas semifinais da competição. Com 60 minutos sem gols, mas com muita disposição, a partida foi para os pênaltis. O time mineiro acertou todos e contou com o erro do último pênalti do time baiano para avançar as semifinais finais.

Primeiro tempo

Desde o primeiro minuto a equipe do Cruzeiro pressionou o Bahia, mas foi a equipe baiana que chegou primeiro. Aos 4 minutos, o zagueiro Silvano recebeu dentro da área e finalizou por cima do gol. Três minutos depois o time mineiro respondeu. Henrique, o camisa 5 da Raposa, cobrou falta da intermediária, mas a bola subiu muito.

O Cruzeiro, a pedido do técnico Fábio Brostel, continuava pressionando o Bahia, tinha mais posse de bola, mas não levava perigo. O time baiano tentava sair no contra-ataque, sem sucesso.

O jogo só voltou a ter chances de gol após os vinte minutos. Aos 23, o camisa 11 do Bahia, João, foi acionado pelo lado esquerdo do ataque, cortou para o meio e finalizou fraco para defesa do goleiro Rodrigo. O Cruzeiro chegou duas vezes aos 25. Primeiro com Bruno Paulo, a finalização bateu na zaga e saiu para escanteio. Depois da cobrança, a bola sobrou na área e o zagueiro Cezário arriscou. O chute saiu forte, mas parou na zaga.

O time baiano voltou a assustar em duas cobranças de falta. Na primeira, novamente o zagueiro Silvano cobrou para a defesa segura do goleiro Rodrigo. No minuto seguinte foi a vez do lateral direito Allan. Ele surpreendeu ao bater a falta, da lateral do campo, direto para o gol. A bola passou com perigo próximo a baliza.

Segundo tempo

O Bahia chegava ao gol cruzeirense através das bolas paradas. Aos 2, após escanteio, o zagueiro Lucas subiu, mas a cabeçada saiu fraca e a zaga afastou. No lance seguinte a chance mais clara de gol do jogo. O camisa 9, do Cruzeiro, Wesley recebeu dentro da área, limpou o goleiro Ronaldo e finalizou, ele só não contava com a cobertura do zagueiro baiano, que afastou em cima da linha.

Aos 13, o Bahia chegou com a bola trabalhada. O contra-ataque pela direita acabou com a finalização rasteira do lateral direito Allan. Rodrigo defendeu de forma segura. Aos 16, o artilheiro da Copinha, Stênio, não conseguiu completar o cruzamento de Wesley e perdeu a chance de abrir o placar para o time celeste. Sete minutos depois, o time mineiro assustou, de novo. O camisa 10, Kelvyn, bateu falta da entrada da área, a bola desviou na barreira e caiu no travessão. Após a cobrança de escanteio, Bruno Paulo ficou com a sobra na área e cruzou para Stênio, sozinho, na segunda trave, o atacante cabeceou firme, mas o goleiro Ronaldo conseguiu fazer a defesa, no último lance do jogo.

Os pênaltis

O Cruzeiro começou batendo e converteu a cobrança. O time baiano, também, confirmou a penalidade. Foi assim até os últimos pênaltis. Na quinta cobrança do Cruzeiro, o camisa 9, Wesley, bateu rasteiro, o goleiro Ronaldo chegou a tocar na bola, mas ela entrou.

Na última cobrança do time baiano, o camisa 10, Liedson, precisava fazer para que a equipe continuasse viva na competição. Ele bateu no canto direto do goleiro, que caiu para o esquerdo, mas a bola foi para fora, eliminando o Bahia e avançando o Cruzeiro para as semifinais.

Destaque do jogo

O jogo não teve um destaque individual, muito por conta da força defensiva das duas equipes. O destaque vai para a dupla de zaga de ambas as equipes. Permitiram poucas chances para os ataques adversários, além de mostrarem bom posicionamento, velocidade e aparecerem bem nas bolas paradas.

A dupla do Bahia formada pelo camisa 3, Silvano e pelo quarto zagueiro Lucas. Enquanto a do Cruzeiro formada pelo número 14, Cezário e o número 3, Pitter.

A semifinal

O Cruzeiro espera, agora, o vencedor do jogo entre Palmeiras e Corinthians, que entram em campo na quarta-feira (17), às 20h, no Estádio Municipal Domenico Paolo Metidieri.










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.