Anterior

Conheça os tipos de devedores existente e como cobrar

02/02/2018

Anterior
02/02/2018 - 09:58
A partir de que idade é preciso se preocupar com a pele?

Dermatologista responda a esta e outras perguntas e dá dicas para prevenir o envelhecimento precoce
 Foto: Divulgação  

Cuidar de pele é como fazer um investimento a longo prazo. Pequenas atitudes tomadas hoje surtirão grandes diferenças daqui alguns anos. Mas, como saber quando devemos começar a cuidar da pele? A resposta é assertiva: desde sempre!

Embora o cuidado com a pele deva ser constante, é preciso entender quais atitudes tomar e como elas influenciam a saúde cutânea. Quem fala sobre isso é Dra. Juliana Barberatto, médica dermatologista da clínica Ápice Medicina Integrada. “O principal cuidado com a pele é evitar a exposição ao sol, pois, os raios solares, principalmente os UVA e UVB queimam e danificam a pele. A radiação é tão nociva que, a longo prazo, danifica o DNA das células, que podem passar a se multiplicar desordenadamente. Esta desordem celular é o câncer de pele, que se não diagnosticado e tratado precocemente, pode ser fatal em alguns casos”, alerta a dermatologista.

Dra. Juliana conta que o processo de envelhecimento da pele já pode ser observado a partir dos 25 anos. “Nesta fase os sinais são praticamente imperceptíveis, porém, já começamos a perder antioxidantes naturais que combatem os radicais livres (produzidos pela radiação solar e poluição do ar) responsáveis por danificar a pele”.

A especialista revela que além do sol e da poluição, outros fatores contribuem para a degeneração da pele. “Tabagismo, má alimentação e estresse elevado também aceleram o envelhecimento natural da pele. Por isso é tão importante adotar bons hábitos de vida, afinal, estes fatores são prejudiciais à saúde como um todo e não só à pele”, complementa.

Mas se tantos fatores contribuem para o envelhecimento da pele, o que fazer para minimizar estes efeitos? A médica é firme ao dizer: “Protetor solar. Este é, sem dúvidas o melhor amigo da pele. Mas não adianta usar só para ir à praia. A aplicação precisa ser diária, mesmo em dias nublados é importante usar o protetor, que precisa ser reaplicado a cada três horas ou 30 minutos antes de sair ao sol”, detalha Dra. Juliana.

Além do protetor solar, alguns tipos de alimentos também possuem propriedades benéficas à saúde da pele. “Todos os alimentos ricos em antioxidantes preservam a pele e desaceleram o envelhecimento. Podemos citar grãos como a linhaça e a chia, que são ricos em ômega 3, proteínas e minerais, além de frutas como a acerola, tangerina. Também é interessante ingerir nozes, e açaí, que também ajudam a hidratar e regenerar a pele”, revela a especialista.

Quem busca recuperar a pele de um processo de envelhecimento já em curso, existem algumas opções de tratamentos estéticos disponíveis. “São inúmeras as formas de buscar a recuperação da pele. Os principais são o microagulhamento, luz pulsada, peeling, preenchimento, toxina botulínica e radiofrequência”, numera Dra. Juliana.

Para saber a melhor forma de cuidar da pele é preciso ir consultar um médico dermatologista, que irá dar a orientação adequada. “Há muitos tipos de pele e para cada uma delas, produtos específicos. Os homens, por exemplo, possuem pele mais oleosa que as mulheres, além disso, possuem a pele da região da barba, mais sensível. Já as pessoas de pele negra, possuem mais melanina, o pigmento natural da pele, que funciona como proteção natural ao sol. Quanto mais clara a pele, menos melanina e mais rápidos os efeitos do envelhecimento por ação dos raios solares”, conclui a Dermatologista.


Fonte: Assessoria de Imprensa 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.