Anterior

Projeto Guri oferece mais de 6 mil vagas em cursos gratuitos de música

14/02/2018

Anterior

Próxima

Presidente da Associação dos Canais Comunitários concorre ao Senado no parlamento italiano

11/02/2018

Próxima
14/02/2018 - 14:23
Saiba mais sobre a ressaca

Nutricionista dá dicas para diminuir o desconforto do dia seguinte
 Foto: Divulgação  

Depois de exagerar um pouquinho na bebida alcoólica é comum acordar com aquele mal estar, popularmente chamado de ressaca. Dor de cabeça, enjoo, azia, falta de apetite e queimação no estômago, são os sintomas mais comuns. Trata-se de uma reação do organismo ao alto consumo de álcool, que quando consumido acima do recomendado, 30 gramas ao dia, é prejudicial à saúde. Os órgãos mais afetados pelo consumo em excesso são o fígado, estômago, coração, intestino e cérebro. “Ao serem metabolizadas as bebidas formam compostos diferentes, de acordo com o tipo, o que pode interferir na sensação de mal estar”, explica Cintya Bassi, nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão.

Algumas pessoas acreditam que a qualidade da bebida interfere na intensidade dos sintomas da ressaca, mas a especialista esclarece. “Não há uma ligação comprovada, o que influencia é o teor alcoólico. A vodca e o gim, por exemplo, são feitas a base de etanol puro e quando metabolizados formam o acetaldeído, que em excesso provoca desidratação e dor de cabeça. Já a cerveja possui uma quantidade maior de água, por isso pode demorar mais para levar à ressaca”.

De acordo com a nutricionista, a ressaca pode ser intensificada ou variada de acordo com a combinação de bebidas alcoólicas. Opções destiladas, doces ou gaseificadas possuem maior permeabilidade, facilitando a absorção do álcool no organismo. Por isso, quando se misturam, as alterações físicas e emocionais podem surgir mais rapidamente. Isso inclui a cachaça, vodca, tequila e champanhe.

Para quem exagerou na dose, a nutricionista aconselha uma alimentação leve. “Para diminuir a sensação de mal-estar é preciso repor as energias com alimentos leves e de fácil absorção para que, nesse momento, o estômago e fígado não sejam ainda mais sobrecarregados. Por isso, incluir frutas e pães simples pode auxiliar. Um fator muito importante para combater a ressaca é a hidratação, que deve ser reforçada, pois essa é uma das principais consequências que ocasionam a dor de cabeça”. A especialista ressalta que, além de muita água, é recomendado o consumo de água de coco que fornece líquido e auxilia na reposição de minerais. Outros alimentos com propriedades depurativas como couve, repolho, melancia, beterraba e abacaxi são indicados para desintoxicar o fígado e limpar o intestino.

O consumo de bebida alcoólica aumenta a quantidade de toxinas no corpo, desequilibra os níveis de açúcar, além das vitaminas e minerais. A nutricionista explica que o álcool precisa de um tempo no organismo para ser metabolizado e eliminado, por exemplo, uma taça de vinho demora cerca de 1 hora para ser completamente metabolizada, sendo assim o mais importante é respeitar o corpo e evitar chegar à fase de ressaca. Confira alguns cuidados para reduzir o mal estar:

Reforce a Hidratação.

Evite alimentos gordurosos;

Evite excesso de cafeína;

Alimente-se adequadamente.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.