Anterior

Votorantim investiga casos suspeitos de febre amarela

16/02/2018

Anterior

Próxima

Horário de verão acaba hoje à noite

17/02/2018

Próxima
17/02/2018 - 01:20
Senhor que faleceu com suspeita de febre amarela era cônsul honorário da tradição gaúcha

Luciana Lopez

O morador do Jardim Tatiana, em Votorantim, de 87 anos, cuja causa da morte é investigada pelo Instituto Adolfo Lutz, sob a hipótese de febre amarela, era cônsul honorário da tradição gaúcha.

O gaúcho Irany Paim Varella, mais conhecido como Lilo, foi um dos fundadores do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Fronteira Aberta de Sorocaba, e era considerado um dos grandes tradicionalistas do estado, muito conhecido na região. Segundo seu filho João Luiz, 40 anos, Lilo era muito ativo. “Ele pegava o carro e dirigia para todos os cantos de Sorocaba, ele nem parava em casa”, comentou. 

Lilo chegou a Sorocaba em 1957 e foi o dono da primeira churrascaria do estado de São Paulo. Em setembro do ano passado foi homenageado em Porto Alegre (RS), recebendo pelas mãos do governador José Ivo Sartori o título de Consul Honorário do Estado do Rio Grande do Sul.

A causa da morte do gaúcho Lilo ainda está indefinida, mas segundo seu filho João Luiz, ele não viajou recentemente para área de risco de contágio de febre amarela e apresentou sintomas iniciais de dores abdominais. “Há alguns meses ele tinhas dores, que com o tempo se intensificaram, mas não foram realizados exames específicos para detectar o problema no abdome”, disse. Segundo ele, o médico da Unidade Pré-Hospitalar (UPH) da Zona Leste de Sorocaba notificou a suspeita de febre amarela apenas como uma hipótese. “Mas, na realidade, acredito que o motivo não foi esse”, disse. O filho, que é técnico de enfermagem de emergência, pretende, nos próximos dias, obter um posicionamento sobre o atendimento prestado ao seu pai naquela unidade de saúde.

Irany faleceu no último dia 09 e deixou seis filhos. Seu sepultamento foi no Cemitério da Consolação, em Sorocaba.

“A diretoria e todos os colaboradores do CTG Fronteira Aberta se solidarizaram com a dor dos familiares, amigos e dos que com ele conviveram nas esferas profissional e pessoal, rendendo homenagens aos trabalhos por ele realizados”, informou a entidade.

 

Texto publicado na página 05 da edição 255 da Gazeta de Votorantim de 17 a 23 de fevereiro de 2018











Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.