Anterior

Rodada com quatro empates no varzeano da 1ª divisão

12/03/2018

Anterior

Próxima

Saúde muda esquema vacinal contra febre amarela a partir da próxima segunda-feira

13/03/2018

Próxima
22/02/2018 - 14:31
Moradores do Jardim Maria Luiza reivindicam regularização da área
 Foto: Matheus Cirone  

Moradores fizeram o calçamento da via de acesso às residências

Matheus Cirone

(programa de estágio)

 

“Nós queremos a regularização de nossos terrenos, pagar impostos, estar no mapa (de Votorantim)”, esse é o pedido da dona de casa Lucrécia Cavichiolli, 55 anos e moradora do Jardim Maria Luiza, que fica próximo ao Bairro dos Morros. No local, as ruas não têm nome, são identificadas somente por uma letra e um número, além de não ter asfalto e água encanada.

Segundo Lucrécia, ela e o marido Jonas Cavichiolli construíram a chácara no bairro há mais de 15 anos, mas foram morar no local há aproximadamente três, quando saíram da Vila Hortência, em Sorocaba. “Estamos lutando para a regularização há mais de 15 anos, queremos melhorias para este local”, afirma.

Devido à falta de regularização do local, o bairro não tem CEP, o que não permite o recebimento de correspondências. “Aqui não chega correspondência, somente da CPFL. A empresa de entrega de correspondência não vem aqui”, conta a dona de casa.

O problema também afeta a água encanada no bairro. “O encanamento só vai até o asfalto (Vila Jordânia), a menos de dois quilômetros, deveriam estender até aqui’, questiona Jonas. De acordo com ele, são 25 famílias no bairro que utilizam poço artesiano. Jonas revela que os próprios moradores gastaram mais de R$ 5 mil para a construção de um poço, mas para a obra ficar completa, com uma bomba e todas as ligações, os gastos devem passar dos R$ 20 mil.

Os moradores, ainda, contaram a necessidade de colocarem bloquetes em um pedaço da rua, para que fosse possível a subida dos carros nos dias de chuva. “Fizemos com nossas próprias mãos. Quando chovia tínhamos que deixar o carro na parte de baixo da rua e subir a pé”, conta Carlos Eduardo Dimas Videira, 62 anos. Também reclamando das condições da estrada de terra.

Para os moradores, os problemas se dão pela irregularidade na documentação dos terrenos e a falta do desmembramento da localidade para o nome dos novos donos, o que depende da finalização de um processo que está na Prefeitura Municipal de Votorantim, sendo assim, os mesmos reivindicam que essa documentação seja liberada pelos órgãos competentes.

A Prefeitura de Votorantim informa que já há um estudo para a regularização do local e que a manutenção das ruas está no cronograma da Secretaria de Serviços Públicos.

Já a Águas de Votorantim diz que não abastece esse local, pois a situação fundiária dos imóveis dessa região não está regularizada. (Supervisão: Luciana Lopez)

 



Veja mais fotos:

  1. Lucrécia Cavichiolli

  2. Lucrécia Cavichiolli







Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.