Anterior

CEI da Saúde elege presidente, relator e define agenda

19/03/2018

Anterior

Próxima

Clara Inês reassume presidência da APAE

19/03/2018

Próxima
19/03/2018 - 10:07
Poluição sonora

Há, aproximadamente, um mês uma indústria de recuperação de plásticos iniciou suas atividades no Parque São João. Ocorre que a atividade da referida empresa está causando grande impacto ambiental, como forte poluição sonora e vibrações, acarretando grande desconforto a nós, vizinhos do local, e às nossas residências, haja vista que, por se tratar de casas populares, não comportam as vibrações provocadas pelo maquinário da aludida indústria, ocasionando-nos, dessa forma, além de danos emocionais e danos patrimoniais.

No dia 28/02/2018, por volta das 23 horas, não conseguíamos ficar no interior de nossas casas, devido aos fortes ruídos e vibrações gerados pela empresa e, em razão disso, acionamos a Polícia Militar. Todavia, ao chegar no local, a Polícia Militar nada pôde fazer, uma vez que os funcionários da recuperadora mostraram o alvará que permitia o seu funcionamento durante 24 horas por dia. Posteriormente, depois de diversas reclamações, fiscais da prefeitura vieram às nossas residências e na indústria a fim de medir a intensidade do ruído gerado pelo maquinário da empresa. Após a medição, foi constatado que a indústria está causando forte poluição sonora, ou seja, emitindo ruídos acima do permitido para o Parque São João. Ao questionarmos os ficais sobre qual seria o procedimento a ser tomado, fomos informados que iriam revogar o funcionamento de 24 horas da empresa, no entanto ela poderia continuar funcionando das 08:00 às 18:00, até se adequar aos padrões estabelecidos para o local. Até lá, nós, vizinhos do local, teremos que aguentar os fortes ruídos e vibrações gerados pela empresa. Enquanto isso, nossos imóveis vão se deteriorando, nosso psicológico ficando cada vez mais abalado, uma vez que não temos paz em nossas próprias casas.

Sinceramente, não entendemos como um empreendimento deste porte foi aprovado pela prefeitura, e pior, apesar de diversas reclamações terem sido feitas, eles, ainda, haviam liberado o seu funcionamento por 24 horas, mesmo sabendo que o Parque São João é uma área residencial e sem realizar nenhum estudo. Por fim, nós, vizinhos do estabelecimento, não ficamos satisfeitos com a providência da prefeitura, eis que o nosso problema foi parcialmente resolvido. Durante o dia a empresa continua emitindo forte poluição sonora e vibrações.  Será que, antes da prefeitura conceder a licença para o funcionamento da indústria, foram realizados estudos para verificar o impacto ambiental que este tipo de atividade, numa área residencial, causaria para os vizinhos do local? Quem irá responder pelos danos emocionais e patrimoniais causados aos moradores devido ao descaso das autoridades locais? O Município que concedeu o alvará de funcionamento de uma indústria, como dito acima, numa área residencial, ou a empresa em questão?

Resposta: A Prefeitura de Votorantim informa que recentemente recebeu uma comissão de moradores afim de solucionar o problema por eles enfrentado. Diante disso, nesta semana uma equipe da Secretaria de Obras e Urbanismo esteve no local e suspendeu a viabilidade de funcionamento de 24h da empresa. No mesmo dia, uma equipe da Secretaria de Meio Ambiente realizou a medição dos ruídos no local e constatou que realmente está acima do permitido. Nós próximos dias a empresa em questão recebe um laudo oficial e notificação para que realize a adaptação e adequação relacionadas ao isolamento acústico para que a máquina possa funcionar.

 

Envie conteúdos para esta coluna pelo WhatsApp (15) 99189-2600 ou Facebook.










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.