Anterior

Rapaz é detido com sementes e pé de maconha

14/04/2018

Anterior

Próxima

Abaixo-assinado pede mais médicos para o Jardim Cristal

16/04/2018

Próxima
16/04/2018 - 10:01
CEI da Saúde identifica falhas no atendimento às gestantes
 Foto: Divulgação  

Na sessão legislativa da última terça-feira (10), a vereadora Fabíola Alves (PSDB) protocolou o requerimento nº 99/2018 solicitando informações sobre o acompanhamento médico prestado às gestantes de Votorantim.

Durante o pré-natal, é possível identificar e tratar doenças que podem trazer prejuízo à saúde da mãe ou da criança.

Segundo a parlamentar, a Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Saúde da Câmara Municipal de Votorantim visitou várias Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “Detectamos que em algumas dessas unidades não estão sendo realizados programas específicos de apoio e incentivo à saúde da gestante e do bebê, e em alguns bairros notamos uma significativa demora nas consultas em virtude do número de médicos insuficientes, o que compromete o atendimento”, afirmou.

A vereadora ainda relatou que algumas gestantes sequer fazem exames de pré-natal. “Segundo informações de alguns profissionais da saúde, tem aumentado o numero de mulheres gestantes que chegam ao momento do parto sem terem realizado um único exame para saber sobre a saúde do bebê, o que põe em risco a saúde de ambos, pois pode haver uma complicação no pós-parto e até resultar no óbito da mulher ou da criança e, além disso, essa situação acaba se agravando pelo fato de nossa cidade não possuir uma UTI neonatal, necessitando, portanto, da transferência desses casos para outro município”, ressaltou.

Na sua propositura, a tucana questiona qual é a quantidade atual de gestantes assistidas nas Unidades Básicas do município e quais são consideradas de alto risco, e também a média de espera para uma consulta. Ela quer saber quais programas que a Secretaria de Saúde tem desenvolvido para orientação e bem-estar das futuras mamães. “A saúde da mulher merece atenção”, conclui a vereadora. Ela espera que as repostas cheguem a tempo de anexar na CEI da Saúde para contribuir com os trabalhos de investigação dos vereadores.

O requerimento foi aprovado por unanimidade e o executivo terá 15 dias úteis para responder à Câmara.

Prefeitura responde

Questionada por nossa reportagem, a Secretaria da Saúde (Sesa) informou que “não há falta de médico ginecologista na rede. Em relação ao pré-natal, os serviços da saúde atuam para que a população realize a adesão dos acompanhamentos e disponibiliza os atendimentos. A Saúde mantém o Programa Bebê Saudável que realiza busca ativa diária de todas as gestantes internadas, todos recém-nascidos (RN) e crianças internadas no Hospital Municipal. De acordo com a Sesa, todos os RN são avaliados em uma primeira consulta no ambulatório de saúde da mulher e da criança e posteriormente são acompanhados nas Unidade Básicas de Saúde (UBSs) pelo Programa Atenção à Criança (PAC) ou caso seja detectado algum risco continuam o acompanhamento no Ambulatório de Alto Risco. Os bebês das gestantes de alto risco são avaliados pela pediatra neonatologista no Ambulatório de Saúde da Mulher e da Criança.

O Programa Atenção à Criança nas UBSs segue cronograma de consultas mensais no pediatra até o sexto mês de vida; do sexto mês até 2 anos de vida consultas mensais intercalando pediatra e enfermeiro; dos 2 aos 5 anos avaliação anual ou trimestral conforme avaliação de risco. Há também a busca ativa das crianças encaminhadas pelo Ambulatório de Saúde da Mulher e da Criança ao PA de Votorantim para acompanhamento.

O município oferece ainda o programa de Gestante. O pré-natal é realizado em todas as UBSs e Postos de Saúde da Família (PSFs), com consultas pelos ginecologistas e enfermeiros, seguindo adequadamente os protocolos preconizados pelo Ministério da Saúde. O Ambulatório de Saúde da Mulher e da Criança realiza também o planejamento familiar”, destacou por nota.

CEI da Saúde

A Comissão Especial de Inquérito apura supostas irregularidades na Saúde, entre as quais, o pedido para desabilitação de duas Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs), falta de medicamentos, médicos e de materiais de consumo nas unidades de saúde, além de apurar a falta de manutenção dos equipamentos de suporte à saúde das unidades hospitalares, entre outros pontos.
A CEI é presidida pela vereadora Fabíola Alves (PSDB) e o relator é o vereador Lilo (MDB).

 


Coluna publicada na página 03 da edição 263 da Gazeta de Votorantim 14 a 20 de abril de 2018










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.