Anterior

PF investiga contratos da merenda de 2010 e 2014 em Votorantim

13/05/2018

Anterior

Próxima

Fatec de São Roque recebe pesquisadores de Coimbra

14/05/2018

Próxima
12/05/2018 - 18:00
Sem julgamento, acidente com caminhão de lixo completa um ano
 Foto: Jorge Silva/ Arquivo 

Caminhão capotou e parou em pé

 


Matheus Cirone

(programa de estágio)

Vanessa Corrêa

(colaboração)

 

“Se o processo seguir um trâmite normal, sem nada de excepcional que o atrase, eu acredito que até o final do segundo semestre nós teremos a sentença deste caso”, diz Wellington dos Santos Veloso, promotor da Vara Criminal de Votorantim, sobre o acidente com caminhão de lixo, em Votorantim, que causou a morte de um coletor e deixou dois gravemente feridos, e completa um ano hoje, 12 de maio.

Segundo Veloso, a prova do inquérito concluiu que não houve falta de freios no caminhão. “O caminhão tinha seus sistemas de freios operando plenamente, portanto não havia falha no veículo”, conta. Sobre a causa do acidente, ele completa. “O acidente foi em decorrência da velocidade incompatível com a qual ele jogou ao final da curva para ingressar na avenida (Reverendo José Manoel da Conceição). Esse excesso de velocidade foi à causa do acidente”, afirma.

A. O. A., 32 anos, motorista do caminhão no dia do acidente, foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. “As vítimas de lesões corporais não querem processar criminalmente o motorista do caminhão, portanto, a ação penal que ele vai responder vai versar exclusivamente sobre o homicídio culposo”, revela o promotor. Ele também frisa que, se for considerado culpado no julgamento, o acusado deve responder em liberdade. Sobre a pena, Veloso comenta. “Neste caso, como não há o componente da embriaguez ao volante, normalmente a pena fica em torno de dois a quatro anos, com a consequente transformação desta pena de prisão em pena de prestação de serviço a comunidade”, relata.

O motorista tem o direito da ampla defesa. “Ele tem o direito de produzir toda prova e seu advogado entender que seja de interesse da defesa. Provavelmente ele vai trazer testemunhas, ele vai questionar as provas produzidas pelo inquérito policial”, finaliza.

Procurados pela reportagem, o motorista A. O. A., além de A. P. D., 41 anos, que revezava o posto de motorista e estava na cabine no momento da ocorrência; a mãe de Kaíque da Silva Moraes, vítima fatal do acidente e a companheira dele na época, não quiseram falar.

 

O caso

Um caminhão de lixo da empresa Sanepav, responsável pela coleta em contrato emergencial em Votorantim, tombou no dia 12 de maio de 2017, por volta das 18h30, vitimando um coletor e deixando outros dois gravemente feridos.

Em alta velocidade e desgovernado, o caminhão desceu a Av. Luís do Patrocino Fernandes e nas proximidades da rotatória sentido a Av. Reverendo José Manoel da Conceição, capotou lateralmente dando uma volta completa e parando em pé.

Kaíque Silva Moraes tinha 18 anos e era um dos coletores. Ele faleceu no hospital, devido a múltiplos traumatismos. (Supervisão: Luciana Lopez)

 

 

Reportagem publicada na página 8 da edição 267 da Gazeta de Votorantim de 12/05/2018 a 18/05/2018

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.