Anterior

Associação supermercadista regional espera aumento das vendas no período de Festa Junina e Copa do Mundo

30/05/2018

Anterior

Próxima

Sorocabana vai retirar o FGTS e descobre que seu dinheiro foi sacado por outra pessoa

30/05/2018

Próxima
31/05/2018 - 09:00
Retomada no consumo de alimentação fora do lar beneficia franquias do setor

Bares e restaurantes não são mais sobre matar a fome, mas sim vivenciar uma experiencia social
 Foto: Divulgação 

Bares e restaurantes não são mais sobre matar a fome, mas sim vivenciar uma experiência social.

Após um período conturbado de instabilidade financeira, o Brasil finalmente começa a dar sinais de recuperação e os números, ainda que num ritmo mais lento, voltam a crescer. O mercado alimentício foi a categoria menos afetada diante da crise, em contramão, bares e restaurantes deixaram de ser vistos como uma necessidade básica alimentar e passaram a serem considerados entretenimento. Atualmente, o setor de alimentação fora do lar voltou a crescer e franquias que se encaixam nessa categoria são consideradas opções de recreação, novamente.

Segundo dados do IBGE, 25% da renda do brasileiro é destinado para alimentação fora do lar, e pesquisa divulgada pela ABIA (Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação) estimam que o setor cresce 14% ao ano. O que em épocas de crise intensa era um programa inviável, volta a ser uma opção no roteiro de jovens que priorizam passeios mais tranquilos. É o caso da estudante Karina Xavier, que esteve desempregada até pouco tempo e conta do retorno para momentos que lhe custam um pouco de sua renda. “Minha primeira atitude quando desempregada foi a de abdicar de distrações que me custavam algum dinheiro, sair com os amigos para bares e baladas foi uma delas. Hoje, frequento esses lugares de novo e sinto a importância dessas horas pra mim e as pessoas com quem eu convivo. Depois de uma semana cansativa, é o melhor jeito de passar o final de semana”.

Para Elaine Buzziol, diretoria financeira da franquia Salomé Bar, a geração atual se preocupa com o social e tem como preferência destinar parte do seu dinheiro a momentos, e não coisas. “A nova geração já está ciente de que gastar seu dinheiro com diversão e viagens é muito mais prazeroso do que gasta-lo com bens materiais. A combinação de um programa com boa comida, bebida e uma conversa entre amigos é sim prioridade para muitos”.

Passados os momentos de maior tensão diante da crise, Elaine diz que já se pode sentir a retomada nos negócios “Mesmo com a recuperação lenta da economia, já sentimos o aumento do público, principalmente porque se sabe que as pessoas saem da crise antes das empresas e voltam aos seus antigos hábitos de consumo”.

 

Fonte:Jf Gestão de Conteúdo










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.