Anterior

Votorantim tem 5 casos de gripe H1N1 com dois óbitos

12/07/2018

Anterior

Próxima

Coletivo Jovem Coca-Cola abre inscrições para novas turmas em Itu e Sorocaba

13/07/2018

Próxima
12/07/2018 - 20:52
Marido é preso após confessar ter matado a esposa na favela do Palmeirinha
 Foto: Matheus Cirone 

Assassino foi preso

Matheus Cirone

(programa de estágio)

 

O jardineiro V. J. S. admitiu, na tarde de quarta-feira (11), ter assassinado a esposa, Daniele Candido Costa, de 21 anos, na noite de segunda-feira (9), na moradia deles, na favela do Palmeirinha, no bairro Itapeva, em Votorantim.

Após ser preso, na cidade de Porto Feliz, o assassino confesso, prestou depoimento na Delegacia Central de Votorantim, onde admitiu o homicídio.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, José Antônio Proença, ele já havia pedido a prisão preventiva de V., quando a Guarda Civil de Porto Feliz encontrou o assassino na cidade, há aproximadamente 60 km de Votorantim, onde o crime ocorreu e local que o mesmo foi levado para prestar depoimento.

Na Delegacia, o assassino confessou o crime e explicou como ocorreu, segundo o delegado. “Ele disse que tiveram uma discussão e que após isso, saiu e comprou cinco pinos de cocaína, consumindo todos, voltou para a casa e ela estava deitada na cama e ele pegou um machadinho/enxada e deu um golpe nela. Ele alega que não sabe onde acertou, mas foi na cabeça, já que havia sangue que escorreu do nariz. Contou que deitou ao lado da mulher e dormiu, só percebeu que ela estava morta no dia seguinte, quando acordou e então a colocou debaixo do sofá e saiu da casa”, revelou o delegado. “Não houve estrangulamento, foi um golpe na cabeça que a matou”, afirmou Proença.

Agora, V. foi encaminhado para a Cadeia Pública de São Roque, onde deve permanecer até o julgamento. Ele será indiciado por homicídio triplamente qualificado. “É um crime hediondo. Feminicídio. É qualificado pelo motivo fútil, pela dificuldade da vítima se defender e pelo feminicídio, então triplamente qualificado e pode pegar uma pena de até 30 anos”, finalizou.

 

O caso

A jovem Daniele Candido Costa, 21 anos, foi encontrada morta, na terça-feira (10), no período da tarde. O corpo da vítima estava sob o sofá da residência, um barraco, na favela do Palmeirinha.

De acordo com o Boletim de Ocorrência (B.O.), o contato com a Polícia foi feito pelo irmão da vítima por volta das 18h, do dia 10. Ele informou que, preocupado com a ausência da irmã, foi com familiares até a residência de Daniele, na última segunda (9), mas encontraram a casa trancada e aparentemente vazia. Esperaram do lado de fora, mas a jovem não apareceu. Retornaram a casa na tarde do dia 10 e o local se encontrava da mesma maneira, quando ele resolveu pular a janela do barraco. Ao adentrar na casa, se depararam com uma poça de sangue próximo ao sofá.  Ao levantar o móvel da sala, encontraram o corpo da vítima coberto com um lençol. Logo na sequência, arrombou a porta da casa e ligou para a polícia.

O irmão da vítima disse que ela era casada há um ano e que o marido é usuário de drogas, enquanto a jovem não tinha vícios e que os dois já haviam brigado antes. Segundo ele, ouviu dizer, de testemunhas, que o casal discutiu e que após isso, o marido deixou a casa, comprou drogas e deixou a favela tremendo.

O corpo de Daniele Candido Costa foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) na manhã de quinta-feira (12), e enterrado no Cemitério São João Batista, em Votorantim. (Supervisão: Luciana Lopez)










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.