Anterior

Programa de Trainee da Cervejaria Ambev tem inscrições prorrogadas

19/09/2018

Anterior

Próxima

Inscrição para artistas interessados em grafitar caminhões de lixo termina sexta-feira

19/09/2018

Próxima
19/09/2018 - 11:17
Documentário "Be, Was, Being, Yby Soroc” da exposição Yby Soroc será exibido nesta quarta-feira (19)
 Foto: Divulgação 

Cena do documentário


Nesta quarta-feira (19), às 19h, o Museu da Arte Contemporânea de Sorocaba (MACS) tem nova exibição do documentário “Be, Was, Being, Yby Soroc”, dirigido por Chores Rodrigues e escrito pelo artista Pedro Lopes. A apresentação integra a 12ª Primavera dos Museus, do Instituto Brasileiro dos Museus (Ibram), que reúne 900 museus de todo o país e oferece mais de 2.787 atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes, entre outras.

Com o tema “Celebrando a Educação em Museus”, o evento nacional tem o objetivo de educar e contribuir no despertar de interesse para diferentes áreas do conhecimento, a vida em sociedade, a importância das memórias e o valor do patrimônio cultural musealizado. Além disso, permite que as instituições museológicas alcancem maior público, de forma mais sustentável e dinâmica.

De acordo com Laura Mattos, educadora do MACS, a exibição do longa-metragem se encaixa perfeitamente no tema proposto. “O filme promove o desenvolvimento cultural e social de Sorocaba, levando conhecimento sobre a história da cidade, assim como o progresso artístico no decorrer dos anos”, conta.

Be, Was, Being, Yby Soroc” tem classificação indicativa livre e a entrada é gratuita. O MACS fica localizado na Avenida Afonso Vergueiro, 280, ao lado da antiga Estação Ferroviária de Sorocaba. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: 3233-1692 ou site: www.macs.org.br.

Sobre o documentário

O documentário “Be, Was, Being, Yby Soroc” retrata o processo de criação e informações sobre as vinte telas produzidas pelo artista sorocabano Pedro Lopes, que detalham a história de Sorocaba, antes mesmo de sua fundação oficial, em 1654.

O diretor Chores Rodrigues utilizou a técnica mise em scène (encenação, em português) nas esculturas e nos esboços para chegar ao resultado final do longa-metragem. “Procurei dar movimento à história, assim como apresentar as pinturas do Pedro Lopes. A obra é narrada pelo próprio artista, que identifica todos os personagens importantes inseridos nos acontecimentos históricos e artísticos do município”, conta.

De acordo com Pedro Lopes, “Be, Was, Being” (Ser, Foi, Sendo) é uma referência da modernização e popularização da língua e cultura inglesa em Sorocaba, enquanto “Yby Soroc” (Terra Rasgada) é o nome de origem indígena da cidade.

Sobre a exposição

Utilizando a evolução da região de Sorocaba como tema, Pedro Lopes realizou, entre 2000 e 2005, uma série de obras que desvendam a história do município, antes mesmo de sua fundação. As pinturas, que foram inscritas na Linc (Lei de Incentivo à Cultura de Sorocaba), retratam desde a proto-história até o início do século XXI e seguem um processo de releitura dos estilos artísticos vigentes, indo do Maneirismo aoNeoabstracionismo. São mais de 450 anos de memória pintados a óleo, em vinte telas de 250 por 190 cm.

Segundo o pintor, as pinturas retratam o desenvolvimento da cidade. “O público poderá conhecer a região, entender sua origem e como ela avançou. Juntamente, está o progresso da arte no decorrer dos anos”, contou.

A exposição “Yby Soroc” é gratuita e permanecerá aberta ao público até 6 de outubro, com horário de visitação de terça a sexta, das 10h às 17h e aos sábados e feriados, das 10h às 15h.



Fonte: Q Notícia










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.