Anterior

Ações culturais atraíram bom público no fim de semana

22/10/2018

Anterior

Próxima

Aquário Cultura recebe mais uma edição do “Palco Livre”

22/10/2018

Próxima
22/10/2018 - 12:22
Além dos canudos de plásticos, a bituca de cigarro é outra vilã ambiental
 Foto: Divulgação 

Empresa votorantinense na reciclou mais de 40 milhões de bitucas


A Poiato Recicla, empresa situada em Votorantim, já reciclou mais de 40 milhões de bitucas e dentre suas atividades, realiza em todo o Brasil, palestras e workshops que visam promover, além da saúde, o meio ambiente.  No momento em que se fala muito dos canudos de plásticos, o mal que o artefato faz ao meio ambiente e adesão de cidades que estão proibindo o uso deles, a Poiato Recicla reforça o seu trabalho e evidencia todo o mal que a bituca faz. A empresa recolhe bitucas, recicla e os resíduos de cigarros são transformados em massa celulósica em seguida, o material vira artesanato.
O descarte incorreto de bitucas gera danos irreparáveis à saúde e ao meio ambiente.  Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o número estimado de fumantes no mundo é de 1,6 bilhão, e são descartadas, diariamente, cerca de 19 bilhões de bitucas, que contribuem com enchentes, entupimento de bueiros, queimadas além das contaminações de solo, ar e água.
“Além de recolher e reciclar os resíduos, nós compartilhamos todo nosso conhecimento com a sociedade. Executamos amplo trabalho de sensibilização para todas as faixas etárias, através de palestras, exposição em eventos em geral, em empresas, universidades e repartições públicas, sempre evidenciando os malefícios do cigarro em suas diversas fases e propondo em suas atividades, mudanças de comportamento”, explica Marcos Poiato, diretor da empresa.
A Poiato recicla hoje, atende empresas, instituições e algumas prefeituras, como a cidade litorânea de Ilhabela-SP que é pioneira no programa de coletas de bitucas. “Nós fazemos a nossa parte e a nossa expectativa é alcançar cada vez mais adeptos ao nosso projeto. A Poiato Recicla desde sua fundação, já reciclou mais de 40 milhões de bitucas, contribuindo com a proteção ao meio ambiente, e disseminando cada vez mais, que a bituca é tão prejudicial quanto lixo hospitalar e considerada, a número um, no quesito poluente de oceanos”, ressalta Marcos Poiato.


Reportagem publicada na edição n°290 da Gazeta de Votorantim de 20 a 26 de outubro de 2018, página 06.

 

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.