Anterior

Vereador pede tapa-buracos para rua do Parque Jataí

14/12/2018

Anterior

Próxima

Mulher é presa em flagrante após furtar um filtro solar

14/12/2018

Próxima
14/12/2018 - 14:13
Mais de 5 milhões de brasileiros sofrem com hérnia de disco

Médico ortopedista especialista em coluna fala sobre as causas, diagnóstico e tratamento do problema
 Foto: Imagem Ilustrativa 

O diagnóstico da hérnia de disco leva em conta os sintomas clínicos e testes físicos


Dor, perda de força muscular e sensação de dormência ou queimação nas costas, na região cervical ou lombar podem ser sinais de um problema de saúde que afeta mais de cinco milhões de brasileiros, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): a hérnia de disco. 

Dr. Helio Mimura, médico ortopedista especialista em coluna da clínica Ápice Medicina Integrada, de Sorocaba (SP), explica que o problema é caracterizado pelo extravasamento do disco vertebral, que fica entre as vértebras da coluna e atua no amortecimento dos impactos. “A hérnia de disco acontece devido à má postura, envelhecimento, esforço excessivo, movimentos bruscos, dentre outros hábitos que levam à compressão das vértebras. Além disso, o fator hereditário também pode colaborar para o surgimento precoce do problema, sofrendo influência da falta de cuidados com a coluna”, explica.

Ao ser comprimido, o disco vertebral sai do local onde deveria ficar e acaba comprimindo os nervos da região, provocando dor. “Para entender melhor o que acontece, imagine que você pressiona os dois lados de um biscoito recheado com os dedos da mão. Consequentemente, o recheio irá comprimir e vazar para os lados. Na coluna, acontece o mesmo. O disco gelatinoso sai, comprime o nervo e provoca a dor”, conta o médico especialista.

O diagnóstico da hérnia de disco leva em conta os sintomas clínicos e testes físicos, no entanto, exames de imagem, como a tomografia ou a ressonância magnética, também são necessários para identificar, com precisão, a localização da hérnia, o estágio em que se encontra e as características do problema.

 “Existem diversos estágios de hérnia de disco: um dos primeiros sinais é a protrusão discal, que ainda não é uma hérnia, mas, sim, o sinal de enfraquecimento da estrutura, que pode vir a desencadear o problema. Quanto ao grau de ruptura do anel do disco, podemos definir como hérnia contida ou extrusa. A gravidade do caso depende da intensidade dos sintomas provocados pela compressão nervosa, sendo considerados uma urgência cirúrgica de hérnia discal os casos de síndrome da cauda equina, que é quando há compressão aguda do nervo e amortecimento da região perineal, com perda de controle dos músculos que controlam a bexiga e o intestino”, detalha o ortopedista. 

O tratamento varia de acordo com a gravidade do problema, podendo incluir o uso de medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos, para o controle da dor, fisioterapia e hidroterapia para fortalecimento muscular sem impacto e cirurgia, nos casos mais graves. “Quando o tratamento clínico e medicamentoso não surte efeito, é recomendada a cirurgia, que visa retirar a parte protuberante do disco afetado, para que deixe de pressionar o nervo. Normalmente, o alívio da dor é imediato após o procedimento”, completa.

Quem trata da hérnia de disco precisa ficar atento e evitar situações que sobrecarreguem a coluna. “É recomendado que a pessoa não carregue peso, corrija a postura e adote hábitos saudáveis de vida, mantendo o peso adequado e praticando atividades físicas regulares”, conclui Dr. Helio Mimura.

A Ápice Medicina Integrada fica localizada na Rua Eulália Silva, 214, no Jardim Faculdade, em Sorocaba (SP). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3229-0202, pelo site: apice.med.br ou pelo Facebook: facebook.com/apicemedicinasorocaba.


Fonte: Q Notícia










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.