Anterior

21ª Caminhada da Penha acontece no dia 28

15/04/2019

Anterior

Próxima

Sindicato e servidores municipais realizam protesto em frente à Prefeitura

15/04/2019

Próxima
15/04/2019 - 14:42
Prefeitura teve prejuízo de mais de R$ 31 mil com cabos furtados nos últimos cinco meses em Votorantim

Só no Estádio Municipal foram roubados 860 metros de cabos de cobre
 Foto: Jorge Silva  

Furtos deixam vias às escuras

Ivana Santana
 
Mais de 1.700 metros de cabos de cobre foram furtados em Votorantim nos últimos cinco meses. É o que consta no documento apresentado pelo secretário de Obras e Urbanismo de Votorantim, Pedro Nunes, durante entrevista para a Gazeta de Votorantim. Segundo os boletins de ocorrência registrados pela pasta, os cabos de cobre furtados eram de 4 mm², 16 mm², 35 mm² e 120 mm². O valor total do prejuízo aos cofres públicos, de acordo com o secretário, foi de R$ 31.871,80. Também foram registrados pela pasta boletins de ocorrência a respeito do furto de 320 metros de cabo de alumínio de 35 mm² e de um transformador de energia. Como ambos eram pertencentes a CPFL, Pedro diz que a própria empresa ficou a cargo de arcar com os custos da substituição dos materiais, o que, inclusive, já foi feito.
Os furtos aconteceram em várias partes da cidade e foram tanto de cabos expostos quanto subterrâneos, segundo Pedro. A primeira ocorrência registrada pela secretaria foi em novembro do ano passado, referente ao furto de 60 metros de cabo de cobre de 120 mm² e 800 metros de cabo de cobre de 35 mm² no Estádio Municipal Domênico Paolo Metidieri, que fica na Avenida Newton Vieira Soares, no Centro da cidade. O furto no Estádio foi o que gerou maior prejuízo: R$ 20.650,00. “Nós não estamos tendo atividades à noite no Estádio, pois está sem energia elétrica e a noite ficam sem iluminação”, destaca Pedro. Os outros furtos aconteceram na Avenida Celso Miguel dos Santos, no Vossoroca; no Parque das Aves que fica na Rua Gentil Vicente Carrara, no Parque Jataí; na Praça que fica na Rua José Raimundo da Silva, no Green Valley; na Rodovia Miguel Afonso Ferreira de Castilho (ramal 103 da SP-79), nas entradas dos bairros Votocel e Parque São João; nas Ruas Agostinho Gomes e Renato Chiozotto, no Parque Morumbi; e na Rua Anália Pereira, na Vila Pedroso.
“Todos os cabos furtados já foram repostos, com exceção dos cabos do Estádio. Assim que a gente fica sabendo que os cabos foram roubados, nós vamos ao local para apurar o que foi feito e logo em seguida comunicamos a empresa que presta serviço no município e eles repõe o material em questão de poucos dias”, explica o secretário.
De acordo com Pedro, os cabos do Estádio ainda não foram repostos porque esse trabalho deve ser feito junto com a reforma que está prevista para várias partes do local. “Além da reposição dos cabos no Estádio, estamos fazendo um levantamento de tudo que precisa ser feito no estádio, como consertar parte da arquibancada e do telhado. Depois vamos fazer um levantamento dos custos de tudo isso. A intenção da Prefeitura é reformar o Estádio para que possamos fazer a Copinha de 2020 lá”, revela.
Pedro explica que os furtos prejudicam toda a população, pois o dinheiro para repor os cabos é público. “É a própria população que acaba pagando a reposição desses cabos. Quando se assalta o poder público, a população sofre. O dinheiro que estamos gastando com a reposição desses cabos poderia estar sendo usado para investirmos em iluminação de praças ou de vias públicas que têm necessidade, entre outras coisas. Mas temos que tirar daí para cobrir essas partes furtadas”, diz.
O secretário acredita que os furtos estão sendo feitos por uma quadrilha especializada nesse tipo de crime. “Furtaram até um transformador de energia em uma rua. Para pessoa tirar um transformador e levar embora, tem que ter um pouco de conhecimento a respeito de como funciona para desligar, para não tomar choque. Eu acho que é uma organização que está realizando esses furtos. Acredito que quem está roubando está vendendo para alguém que tem interesse e está usufruindo dessa parte roubada. Se estão roubando, é porque tem quem compre. E eu acredito que todos os furtos foram feitos pela mesma organização”, analisa.
Onze boletins de ocorrência foram registrados pela pasta sobre os furtos, entre 23 de novembro do ano passado e a última quarta-feira (10). Porém, Pedro diz que é difícil identificar quem tem cometido os crimes. “Nós não tivermos retorno da polícia sobre as investigações. Até o momento não temos pistas de quem possa ter realizado os furtos de cabos. A gente vem tentando localizar os infratores, mas a gente não tem como localizá-los, porque não temos fiscais para fiscalizar assalto em vias públicas. E como os furtos foram em vários pontos da cidade, também é difícil fiscalizar, porque hoje é em um lugar e em outro dia é em outro canto da cidade. Porém, nós não descartamos que possa ser realizada uma varredura em ferros-velhos e em locais que vendam esse tipo de material para tentar identificar se há cabos furtados sendo vendidos”, explica.
Para evitar que mais furtos aconteçam, Pedro diz que a Prefeitura precisa da colaboração da população. “Se algum cidadão perceber alguma coisa estranha ou tiver suspeita de que isso está acontecendo no seu bairro, deve ligar para a Polícia”, alerta.


Reportagem publicada na edição nº 312 do jornal Gazeta de Votorantim, de 13 a 18 de abril de 2019, página 05.



Veja mais fotos:

  1. Pedro Nunes - por Ivana Santana

  2. Pedro Nunes - por Ivana Santana







Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.