Anterior

Vereador quer mais estrutura para Bairro dos Morros

19/04/2019

Anterior

Próxima

"Se morrermos com Cristo, com Ele ressuscitaremos"

19/04/2019

Próxima
19/04/2019 - 10:18
Igrejas encenam a Paixão de Cristo em Votorantim
 Foto: Jorge Silva 

Ivana Santana

 

A Semana Santa é tradicionalmente marcada pelas atividades promovidas pelas igrejas cristãs de Votorantim. O auge da programação é sempre as tradicionais encenações da Paixão de Cristo, que reúnem milhares de pessoas de todas as idades.

A Comunidade Nossa Senhora de Fátima, pertencente a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, irá realizar a apresentação do teatro hoje (19), às 19h30, na praça do Parque Jataí, ao lado do campo de bicicross, que fica na Avenida Antônio Castanharo. A entrada é franca, mas o público pode contribuir com um quilo de alimento não perecível, que será repassado aos vicentinos, que farão doações para famílias carentes.

A Comunidade Cristã Deus Presente promoveu uma série de cultos na praça Zeca Padeiro, no Centro, desde a última quarta-feira (17), que são as três Bênçãos do Calvário. Neste sábado (20), a partir das 20h, acontecerá a encenação da Paixão de Cristo promovida pela Comunidade, também na Praça Zeca Padeiro. A entrada é gratuita. Já no domingo (21), a Comunidade irá encerrar as atividades com uma carreata, que irá sair da Vila Nova Votorantim às 7h30, com destino a Praça Zeca Padeiro, onde a partir das 9h haverá a Manhã da Ressurreição, com distribuição de pães para as pessoas que participarem.

A Igreja Apostólica Verdade do Evangelho (IAVE) irá promover também uma encenação da Paixão de Cristo, neste sábado (20), às 19h30. A encenação contará com mais de 80 atores e mais de 120 pessoas envolvidas na produção. Segundo os organizadores, o público ano passado superou mil pessoas, e este ano a expectativa é que o público seja ainda maior. A encenação acontecerá no Centro Esportivo Recreativo Municipal Aldovir Gori (CERMAG), que fica na Rua Agenor Augusto Lins, no bairro Rio Acima.

E neste domingo (21) será apresentado na Igreja Presbiteriana Aliança Eterna o 'Musical de Páscoa O Cordel da Cruz', com uma mensagem sobre o motivo da páscoa com uma linguagem inspirada nos cordéis nordestinos. A apresentação acontece às 19h30. A Igreja fica na Rua Francisco Ceretta, número 40, bairro Barra Funda.

 

Encenação católica acontece há 23 anos na cidade

Mais de 250 pessoas estarão envolvidas na encenação promovida pela Comunidade Nossa Senhora de Fátima este ano. Sidnei Barbosa, de 49 anos, que mora no Parque Jataí, deve dirigir a peça este ano. Foi ele, inclusive, que fundou a peça, há 23 anos. De acordo com o diretor, a expectativa é que sete mil pessoas prestigiem a peça hoje. “O que me motiva a fazer isso é a evangelização. É um momento no qual as pessoas realmente se convertem. Pessoas de outras religiões também prestigiam a peça, o que é muito legal. Isso faz com que a gente fique grato a Deus por ele permitir que a gente tenha a capacidade de fazer esse trabalho”, afirma o diretor.

“A peça evoluiu muito. Em 1996 nós fizemos a primeira encenação. Nós tínhamos cerca de dez pessoas atuando e umas 30 assistindo. Antigamente a gente fazia a encenação na rua, nas casas... A gente escolhia um caminhão na rua e fazia a crucificação em cima dele. Hoje temos todo uma estrutura, com mais gente trabalhando. No ano passado tivemos um público de cerca de cinco mil pessoas, mas choveu. Nós fazemos em baixo de chuva mesmo quando acontece isso. Se ano passado, com chuva, vieram cinco mil pessoas, este ano nós esperamos pelo menos sete mil pessoas prestigiando. Nós aumentamos a nossa arquibancada e temos lugares para três mil pessoas sentadas”, conta o diretor.

A verba para a realização do evento, de acordo com Sidnei, é levantada ao longo do ano pela Comunidade, com pizza beneficente e rifas, além de doações de empresas e de pessoas.

Sidnei destaca que a preparação para a encenação da Paixão de Cristo teve início no começo do ano. O primeiro ensaio aconteceu no primeiro domingo após o carnaval. Os atores ensaiaram todos os domingos, e alguns atores com papéis de maior destaque tiveram mais dias de ensaio. Toda a preparação foi necessária, pois Sidnei conta que este ano novidades devem surpreender os espectadores durante a encenação.

“Este ano temos bastante expectativas, pois teremos cenas novas. Também teremos uma parte musical muito grande, que vai ser muito bonita. Teremos ainda a participação do público na peça, vamos colocar o público participando da encenação. Vai ser uma surpresa, o público só vai saber na hora como vai participar”, destaca.

Os atores são pessoas da comunidade e demais interessados, e Sidnei afirma que nenhum deles é ator profissional. “O trabalho só é possível por causa da união. Eu faço a direção, mas eu na verdade não faço nada sozinho, eu preciso das pessoas. São as pessoas que fazem a peça. Temos participação de crianças, jovens, adultos e idosos. Nessa encenação tem espaço para todo mundo. Todo mundo que quer vir e ser personagem é bem-vindo. Tem pessoas que vem de outras cidades, como Sorocaba, Salto de Pirapora e Piedade que participam. A palavra de Deus tem que ser para todos, e nós não limitamos a encenação a religião. A nossa peça é em cima da doutrina católica, nossa peça é exatamente como está na Bíblia, a gente não inventa nada, mas todo mundo é bem-vindo. Os atores não são profissionais. Eu também não sou diretor profissional, não tenho nenhum curso. O que a gente tem é boa vontade e o sonho de fazer com que essa encenação cada vez atinja mais gente, que mais pessoas possam ser tocadas pela mensagem de Jesus”, explica.

O jovem Guilherme Augusto de Souza, de 26 anos, que é técnico em manutenção e mora no Parque Jataí, interpretará Jesus este ano pela quarta vez. A vontade de passar a palavra de Deus para o próximo é o que motiva Guilherme.

“A expectativa é grande. Sempre que eu interpreto Jesus é como se fosse a primeira vez. É sempre uma emoção muito grande representar um papel de tamanha grandeza para os cristãos. Jesus foi um grande homem que passou no meio de nós. Já faz uns oito anos que eu participo da encenação. Além de Jesus, eu também já interpretei os soldados, já fiz os dois lados”, conta o jovem.

A preparação para interpretar este papel, de acordo com o ator, é muito grande. Guilherme não é ator profissional e frequenta a Comunidade Nossa Senhora de Fátima. A vontade de evangelizar é o que o motivou a atuar na peça. “Tem muita fala, além do lado espiritual, que trabalhamos bastante, com oração e reza do terço, para que tudo corra bem e que a gente consiga transmitir a mensagem para o público. E quem interpreta Jesus se machuca de verdade, a gente carrega a cruz pesada, cai, apanha... Mas nós temos toda uma preparação. Esses machucados também acabam passando desapercebidos no momento da atuação, na emoção do momento. A gente só vai perceber isso no outro dia. Mas isso não se compara ao que que Jesus passou. Vale muito a pena interpretar Jesus mesmo com todas essas dificuldades. Ver a emoção do público no final é recompensador”, destaca.

Guilherme também destaca que é interessante contracenar com pessoas com quem ele convive na igreja. “É até engraçado, porque a gente vê um outro lado dessas pessoas, elas se transformam mesmo no personagem que estão interpretando”, frisa.

 

Comunidade Cristã Deus Presente espera público de quatro mil pessoas este ano

 Na encenação promovida pela Comunidade Cristã Deus Presente, cerca de 130 pessoas devem estar envolvidas no palco com atuação, dança e música ao vivo, sem contar com os contrarregras e pessoas que trabalham no backstage. É o que afirma a diretora da peça, Janaína Sabino, de 39 anos, que mora no Votorantim Park 1. Ela ainda destaca que barracas com comes e bebes devem ser instaladas no local. Mil cadeiras estarão disponíveis para o público.

“Na encenação nós não mexemos na história, nós fazemos o que está na Bíblia. Mas todo ano a gente conta também uma história diferente. Este ano a nossa história vai ser sobre a libertação. Vamos falar da Páscoa original, que vem lá da época de Moisés, do povo de Israel. Então, nós vamos fazer um Prelúdio com essa primeira Páscoa e depois nós vamos entrar na Páscoa de Jesus, fazendo uma ligação entre as duas e explicando para as pessoas porque Jesus precisou passar pelo que ele passou”, conta a diretora.

Janaína, que está desde 2011 dirigindo a peça, afirma que espera um público de quatro mil pessoas assistindo à encenação este ano. “Também é um momento de celebração da cultura, já que nós vemos poucas peças de incentivo à cultura tão grandes na cidade”, destaca.

Os atores que participam da peça não são profissionais, segundo a diretora. “A minha equipe toda é voluntária, eu não tenho ninguém remunerado, é todo mundo da comunidade. O que nos motiva é o amor, falar do amor de Jesus para outras pessoas. Nos dias que nós estamos vivendo, nós achamos importante fazer o resgate desse amor. Deus ama a todos”, explica.

A Comunidade fez algumas encenações na Praça Lecy de Campos, no Centro, mas este ano a peça será na Zeca Padeiro. Janaína diz que a mudança de local aconteceu para reduzir custos. “Nós temos apoio da Prefeitura com a parte elétrica, de banheiros químicos e de guarda-corpos, mas nós não temos uma verba específica para isso. Como nós somos uma iniciativa privada, fazer apresentação na praça Lecy de Campos demandava um custo muito alto para montar o palco. Para economizar, nós trouxemos a apresentação para a praça Zeca padeiro, pois nós já temos um palco. Na Zeca Padeiro também tem uma acústica legal e é aconchegante. Nós arrecadamos ao longo do ano junto com a Comunidade as verbas, vamos pagando as estruturas em prestações e tudo vai dando certo”, conta.

“A encenação é uma forma de evangelismo. A palavra de Deus é nossa primeira motivação. E também é uma maneira de resgate, porque às vezes as pessoas estão afastadas de Deus. Os índices de depressão e suicídio estão muito altos hoje em dia. Então, eu acredito que essas pessoas podem se aproximar e aprender amor de Deus, porque onde há Deus não há medo, não há discriminação. Existe toda essa evangelização e esse cuidado e atenção com as vidas”, conclui.


Reportagem publicada na página 03 da edição 313 da Gazeta de Votorantim, de 19 a 26 de abril de 2019.



Veja mais fotos:

  1. Janaína Sabino - por Ivana Santana

  2. Janaína Sabino - por Ivana Santana
  3. Sidnei Barbosa - por Ivana Santana

  4. Sidnei Barbosa - por Ivana Santana
  5. Guilherme Augusto de Souza - por Ivana Santana

  6. Guilherme Augusto de Souza - por Ivana Santana
  7. No Parque Jataí são esperadas mais de 5 mil pessoas - por Jorge Silva

  8. No Parque Jataí são esperadas mais de 5 mil pessoas - por Jorge Silva
  9. Montagem da estrutura foi finalizada nesta semana - por Jorge Silva

  10. Montagem da estrutura foi finalizada nesta semana - por Jorge Silva







Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.