Anterior

BOS sedia curso gratuito sobre tontura nesta segunda (22/4)

22/04/2019

Anterior

Próxima

Procon de Votorantim realiza fiscalização de Páscoa

22/04/2019

Próxima
22/04/2019 - 12:11
Não acabem com a nossa aposentadoria!
 Foto: Divulgação 

Marcão Papeleiro


A “reforma” da previdência que o governo pretende implantar não interessa à classe trabalhadora, pois pretende cobrar da população a irresponsabilidade deles em não fazer mudanças necessárias como cobranças bilionárias de empresas e bancos que chegam a dever quase um trilhão de reais e a de grandes fortunas e heranças como já é feito em outros países. É muita irresponsabilidade jogar a incompetência do governo nas costas de quem tudo produz que é o povo.
Por que não mexem com gastanças desnecessárias do judiciário com seus auxílios moradias e outros penduricalhos que consomem nossos recursos? Outra solução óbvia é a geração de empregos que poderia ser alcançada através de medidas econômicas que estimulassem o consumo. Mas Bolsonaro está mais preocupado em criticar o IBGE por suas formas de medir o desemprego.
Não é à toa a ânsia de banqueiros e empresários em quererem aprovar logo a tal “reforma”. Afinal, se acabar com a previdência pública, milhões de brasileiros irão migrar para planos de previdência privada, ou seja, a capitalização, trazendo gigantes lucros a essas entidades. E quem não tem condições de contratar esses serviços, acabará na miséria. E sabemos bem o que é depender de bancos que cobram taxas absurdas e abusivas, caso você esteja em débito com eles e te pagam uma ninharia caso você tenha dinheiro na poupança. O Brasil virará um país de mendigos!
O povo não tem privilégios como eles querem que você acredite. Privilégios têm filhas solteiras de militares falecidos que custam R$5 bilhões anualmente aos cofres públicos, juízes que têm auxílio moradia além de tanto marajá que tem tanta regalia que a gente nem fica sabendo!
A “reforma” em questão é tão fajuta e desastrosa como as mudanças trabalhistas implantadas por Michel Temer. Eles diziam que “era necessário para o Brasil gerar empregos”, porém, já são mais de 13 milhões de desempregados conforme o IBGE! Agora querem te fazer acreditar que sem reformar a previdência, o Brasil não vai crescer. Tudo mentira. Vão dificultar o seu acesso a um direito conquistado através de muito esforço.
Outra lorota: “Será feito justiça, afinal, alguns setores têm mais privilégios”. Na verdade, o que querem é dificultar a aposentadoria de toda a classe trabalhadora, de servidores públicos, mas não tocam nos privilégios de militares e certamente poderão fazer alguma emenda para não prejudicar políticos. Há no Congresso quem trabalha pelo povo, mas há muitos lobos em pele de cordeiro que não se preocupam com pobres, mas com seus próprios bolsos e interesses! E o PT está fechado nessa questão, jamais votará por essa tragédia que chamam de “reforma”.
A proposta é tão injusta que impõe a obrigatoriedade de idade mínima para aposentadoria de 65 anos para homens, e 62 anos para mulheres! Aumenta o tempo mínimo de contribuição de 15 para 20 anos! Imaginem professores (as) sendo obrigados a darem aulas até os 65 anos para se aposentarem. É justo? E quem quiser receber o valor integral do benefício terá de trabalhar e contribuir ao INSS durante 40 anos! Pretendem reduzir os valores da pensão por morte de viúvos, viúvas e órfãos e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) pago a idosos pobres. O BPC cairia de um salário mínimo (R$ 998) para R$ 400 e seria pago aos idosos em condição de miséria a partir dos 60 anos. Para receber o valor integral, o idoso terá de ter 70 anos, cinco anos a mais do que é exigido hoje. A mudança na LOAS irá afetar diretamente quem não tem renda e não contribuiu. Ou seja, quem mais precisa do Estado!
Esse mesmo tipo de “reforma” foi feita no Chile, Colômbia, México e Peru e foi um desastre. Há relatos de idosos que se suicidam devido não terem condições de se manterem.
A conversa está sendo feita no Congresso, bem longe da população. Portanto, será necessária pressão. Não está descartada uma greve geral em breve. Afinal, se não aprenderem a conversar com a população, terá que ter paralização e luta! Ou seja, toda a população nas ruas, assim eles verão que todos juntos temos voz e vez!
Não caia nesse conto do vigário! Eles irão passar por cima dos direitos dos trabalhadores (as) caso não haja reação. A CUT e demais centrais sindicais e movimentos sociais estão nas ruas lutando contra essa atrocidade. Há também uma coleta de assinatura por essas entidades a fim de sensibilizar as autoridades contra esse abuso. O modelo está no site https://reajaagora.org.br/
Reaja enquanto é tempo! Denuncie em suas redes sociais e locais de trabalho! Colete assinaturas, ligue para os deputados da região, escreva pra eles, vereadores, prefeitos e cobre suas posições para que sejam contrárias a essa reforma da previdência!


Coluna publicada na página 08 da edição nº313, do jornal Gazeta de Votorantim, de 19 a 26 de abril de 2019.










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.