Anterior

Sorocaba recebe palestra de ecoturismo e esportes de aventura

17/05/2019

Anterior

Próxima

Vem aí a Semana Mundial do Brincar!

17/05/2019

Próxima
17/05/2019 - 12:47
Entenda o funcionamento de um Pronto Atendimento e saiba como ele pode salvar vidas

Entenda o funcionamento de um Pronto Atendimento e saiba como ele pode salvar vidas
 Foto: Divulgação 

O Pronto Atendimento (PA) é um serviço destinado às urgências e emergências médicas e, geralmente, é uma das portas de entrada de um hospital. É o ambiente adequado para se diagnosticar e iniciar tratamentos para problemas de saúde que se instalem subitamente ou se agravem, podendo ser necessária uma intervenção emergencial, internação ou cirurgia. Dependendo da doença que acometa a pessoa, poucas horas ou, até mesmo, minutos podem fazer a diferença entre a vida e a morte. “Por isso, protocolos que identifiquem, com rapidez e assertividade, as situações de risco são muito importantes nos serviços de urgência e emergência”, enfatiza Dr. Luis Gustavo Bassi Moretti, gerente médico e clínico geral do Hospital Evangélico de Sorocaba (HES).

Por mês, aproximadamente duas mil pessoas passam por consulta médica no Pronto Atendimento do HES e, para garantir um serviço eficiente, é preciso que se definam prioridades. Esse processo ocorre por meio da classificação de risco, mais conhecida como triagem, que leva em conta a queixa do paciente, sintomas apresentados e sinais vitais. No caso do HES, o método utilizado é o mesmo que em hospitais do Reino Unido, Áustria, Alemanha, México, Noruega, Portugal, Holanda, Espanha e no próprio Brasil. Conhecido como Sistema Manchester de Classificação de Risco, essa ferramenta de manejo tem como objetivo definir a prioridade clínica dos casos. “O método não foi projetado para julgar se os pacientes deveriam ou não estar em um serviço de urgência, mas para assegurar que aqueles que realmente precisam de cuidados de urgência ou emergência os recebam de forma adequada e rápida”, explica o médico.

Para que a classificação ocorra, o enfermeiro que realiza o primeiro atendimento ao paciente faz uma rápida entrevista e busca situações de maior risco, com base na queixa, sintomas relatados e, quando necessário, medição de sinais vitais. A partir desses dados, executa o enquadramento em uma das cinco classificações definidas pelo método, sendo elas: emergência, que é a mais grave; muito urgente; urgente; pouco urgente e não urgente. Cada categoria é representada por uma cor e o paciente recebe, ao final da triagem, uma pulseira que identifica seu risco. O método ajuda a estabelecer, não só critérios de prioridade, mas também define o tempo máximo para atendimento médico, que pode variar de imediato, em casos de emergência ou até 240 minutos (4 horas), nas situações não urgentes.

Todo esse cuidado é tomado para que a prioridade seja dada ao paciente que possui uma condição mais grave naquele momento. Por isso, a necessidade de uma equipe emergencial resolutiva, que saiba identificar a criticidade do problema e instituir a terapêutica adequada. “Dessa forma, toda urgência e emergência deve receber cuidados já na unidade de Pronto Atendimento. Em contrapartida, os casos de doenças crônicas, quando estáveis, devem ser encaminhados aos serviços ambulatoriais para consultas mais pormenorizadas com os especialistas. Isso torna o atendimento de urgência mais ágil, minimiza o tempo de espera, aumenta a resolutividade e, consequentemente, preserva vidas”, frisa o gerente médico e clínico geral do HES.

Além disso, de acordo com Dr. Luis Gustavo, em alguns casos clínicos, são utilizados protocolos assistenciais, com o objetivo de garantir resultados ainda mais favoráveis. “Nossos principais protocolos são direcionados para os casos de dor torácica ‘infarto’, AVC, sepse ‘infecção generalizada’ e profilaxia de trombose. Todos foram descritos com base em estudos e literatura médica internacionais e contemplam o que há de mais atualizado nas condutas médicas”, afirma.

Mas, não basta identificar o problema e ser ágil. É preciso ainda oferecer o tratamento correto e em tempo seguro.  No caso do Hospital Evangélico de Sorocaba, o Pronto Atendimento conta, além dos médicos plantonistas, com equipes de especialistas de retaguarda 24 horas, por dia. Dentre as especialidades médicas que integram as equipes, estão: clínica médica, cirurgia geral, cirurgia vascular, cirurgia do tórax, endoscopia, hematologia, hemodinâmica, infectologia, nefrologia, neurologia, neurocirurgia e urologia. Os leitos de emergência também contam com todos os equipamentos indispensáveis, como ventilador mecânico, bombas de infusão, aspirador de vias aéreas, monitor multiparâmetros e carrinho de emergência municiado com todos os materiais e medicamentos necessários para atendimentos emergenciais (cânulas de intubação, laringoscópio, desfibrilador, dentre outros). “Nosso objetivo é preservar a vida do paciente e devemos sempre estar preparados para isso!”, finaliza.

 

O Hospital Evangélico de Sorocaba está localizado na Rua Imperatriz Leopoldina, 136, na Vila Jardini. Saiba mais pelo site: www.hospitalevangelico.org.br ou pelo telefone: (15) 2101-6600.

 

 

Fonte:  Q Notícia










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.