Anterior

Família busca por mulher que saiu para trabalhar e não retornou (Edição: Werinton Kermes)

26/08/2019

Anterior

Próxima

Edis na lida (edição n°331) (Edição: Werinton Kermes)

26/08/2019

Próxima
26/08/2019 - 12:34
Cerca-lourenço (edição n°331) (Edição: Werinton Kermes)

 

Empoderado

Na última segunda-feira (19), o Debate dos Fatos, programa da TV Votorantim comandado pelos jornalistas Werinton Kermes e Luciana Lopez, entrevistou o vereador Alfredo Pissinato Junior (Cidadania/PPS). Vereador de primeiro mandato, mostrou que está mais seguro e menos cauteloso na hora de expor o que pensa, seja sobre pessoas, Câmara Municipal de Votorantim, ou mesmo sobre a política local, ou seja, um Pissinato bem diferente do início do seu mandato.

 

Não acredita na reeleição do prefeito Fernando Oliveira Souza

“…Não fiz campanha para o Fernando porque eu não tinha certeza. O quadro que tivemos até agora, infelizmente, não é favorável para uma reeleição, não acho que o prefeito Fernando consegue emplacar uma reeleição com o histórico deste seu mandato. Eu não sei se isto vai vingar, nem sei se ele vai se candidatar. Os desafios foram grandes, muitos desencontros, várias situações que não foram favoráveis da equipe dele, posicionamento e promessas, isso tudo mancha um mandato e eu não sei se o povo está disposto a perdoar”, esta foi a fala do vereador Pissinato ao se referir ao prefeito Fernando Oliveira Souza (DEM).

Essa fala é muito diferente do início de 2017, quando começou seu mandato de vereador. Lembrando que Pissinato faz parte de um dos partidos políticos que se somou ao DEM na eleição de 2016.

 

“Este pecado eu não cometi”

Ao responder à pergunta da jornalista Luciana Lopez se ele teria pessoas indicadas trabalhando na Prefeitura ou na Câmara, Pissinato se mostrou muito seguro e orgulhoso e respondeu em alto e bom tom: “Nunca, jamais indiquei quem quer que seja”, e concluiu dizendo: “Este pecado eu não tenho”.

 

Mas tem pecado sim

Quando foi eleito, Pissinato afirmou que seria vereador de apenas um mandato, pois não pretendia fazer carreira como vereador e estaria chegando a Câmara de Votorantim para saber, entender e ajudar a cidade apenas por quatro anos.

Perguntado se iria mesmo ficar só neste mandato, ou seja, se não iria concorrer ao pleito novamente, como outrora afirmou, Pissinato respondeu: “…este mandato me deu uma bagagem e experiência e a contribuição que eu trouxe para Câmara foi importante. Se eu e o grupo perceber que é necessário a continuidade deste trabalho, eu farei a continuidade deste trabalho sim”.

 

Pissinato não foi

O Cidadania (ex-PPS) fez uma reunião no último sábado (17) com seus filiados. Na pauta, o presidente Eric Romero expôs algumas situações políticas pelas quais o País, o Estado e Votorantim estão vivenciando. Tratou de expor a possível chegada de novos filiados, enfim, uma reunião política com um quórum satisfatório, porém com uma ausência: a do vereador Pissinato, que garantiu que só não esteve presente por estar em outro compromisso. Mas não esconde que vem sendo assediado e convidado por vários partidos.

 

“Eu seria hipócrita se eu dissesse que sou situação”

O vereador Pissinato deixou claro no programa Debate dos Fatos que a sua vitória para ocupar uma das cadeiras da Câmara de Votorantim não se deve ao movimento carismático da igreja católica. Diferentemente do que se falou e se pensou, o vereador foi taxativo ao afirmar que “não foi o candidato do movimento carismático, até porque a igreja proíbe qualquer manifestação de apoio político e que outros membros da igreja e do movimento também foram candidatos”. Pissinato esclareceu que sua vitória foi a soma de um trabalho em vários segmentos de nossa sociedade e, portanto, este estigma de que seu mandato teria que estar pautado apenas pela igreja é uma inverdade.

 

Bajulado

Na visita que Jair Cassola (sem partido) fez à Câmara Municipal de Votorantim na última terça-feira (20), entre todas as falas que enalteceram o ex-prefeito, o que chamou atenção foi o a revelação do presidente da Casa, Pastor Lilo (MDB), de que no mês de abril último encomendou uma pesquisa de avaliação dos principais nomes políticos da cidade e nesta pesquisa Cassola aparece em primeiro lugar, com 35% de aprovação dos votorantinenses que responderam à pesquisa.

 

Mas as perguntas que não querem calar são:

Com qual objetivo a pesquisa foi feita? Quais os nomes que estão na pesquisa? E se Cassola está em primeiro lugar, quais as colocações dos demais?

Estas são perguntas que apenas um grupo restrito e muito próximo do presidente Lilo tem esta resposta.

 

Os bandidos escondidos nas redes sociais

Na estreia do programa Votorantim Eleições 2020 da Rádio Votorantim, o presidente do PDT e vereador Heber Martins se mostrou muito preocupado com o avanço do uso de forma criminosa das redes sociais na política local. Heber se diz vítima de Fake News e até contou que certa vez, sua esposa recebeu uma mensagem garantindo que ele estaria com uma outra mulher em um evento social na cidade, sendo que quem estava na companhia do presidente do PDT e vereador era justamente a própria esposa.

 

“Não pesco em aquário do outro”

Heber Martins confirmou a informação que a Gazeta de Votorantim publicou nas últimas semanas de que o ex-prefeito Carlos Augusto Pivetta vem dialogando com o PDT para uma possível filiação e para concorrer à Prefeitura no próximo ano pela sigla, e concordou que se o mal-estar entre Cassola e Pivetta continuar, vai causar um prejuízo, caso Jair Cassola não mude de postura. Ele ainda disse que é certo que o 12 do PDT estará na disputa para Prefeitura e ele próprio é também um dos nomes de dentro do partido, mas não tem vaidade, e por isso pode abrir mão para o Pivetta, “sem nenhum problema”.

 

Rodrigo Chizolini no programa Votorantim Eleições 2020

O programa Votorantim Eleições 2020 da Rádio Votorantim entrevista na segunda-feira (26), o presidente do PSOL de Votorantim, Rodrigo Chizolini, nome escolhido pela sigla para concorrer à Prefeitura de Votorantim no próximo ano. O programa vai ao ar ao vivo, às 12 horas, pela Rádio Votorantim WEB, pela TV Votorantim, e depois pode ser ouvido através das redes sociais da própria rádio. O programa é conduzido pelo jornalista Werinton Kermes.

 

“Fala o que quer, escuta que não quer”

O vereador Gaguinho (DEM) usou seu espaço na tribuna da Câmara para fazer severas críticas à Secretaria de Saúde e ao secretário Júnior Silveira. O secretário, que é uma pessoa com muita paciência para tratar de temas e assuntos às vezes nada fáceis, já que sua secretaria é, sem dúvida, uma das mais complexas, perdeu a paciência ao ver o vereador Gaguinho não apenas falando da questão da saúde, mas fazendo comparações e expondo a pessoa de Júnior Silveira.

Diferentemente do que quase sempre acontece quando um vereador sai do campo profissional e entra no pessoal, em que a vítima da ofensa prefere não se manifestar, Silveira se utilizou das redes sociais não apenas para responder o vereador Gaguinho, como também para mostrar quem é quem. Ou, seja, quem é Gaguinho e quem é o Júnior Silveira que o vereador fez questão de expor.

 

Resposta do secretário e cidadão Junior Silveira para o vereador Gaguinho:

“Meu irmão mais novo morreu em um acidente de carro, foi resgatado pelo SAMU e levado para o Hospital Regional, eu estava dentro da ambulância junto com ele no resgate. Meu tio fez anos e anos de hemodiálise e tinha que acordar todos dias 4h da manhã, voltava só na hora do almoço, infelizmente sofreu bastante e faleceu. Minha avó materna ficou acamada por meses, eu cuidava dela toda noite, revezando com minha família, ela morreu em casa, sob nossos cuidados. Meu avô paterno morreu na casa da minha tia, acamado, sob nossos cuidados. Minha tia Nair Silveira faleceu de câncer no pulmão após meses em uma batalha contra a doença. Na última semana meu tio também acamado faleceu, tive o prazer de ajudar em tudo o que eu pude, dispensando nossos cuidados na casa dele e por vezes meu recurso financeiro. Sr. vereador Gaguinho, pare de usar a tribuna da Câmara para tentar desmoralizar quem está trabalhando. Você não conhece minha história e não tem direito de dizer que eu não me importo com as pessoas por nunca ter passado por determinada situação. Procura uma despesa minha pra Secretaria de Saúde! Você não vai encontrar... Diferente do senhor, que gastou recursos da Câmara com despesas bastante suspeitas. Pode ter certeza que se eu estivesse preocupado com meu bolso eu não seria Secretário de Saúde, ganharia mais dando aula. Desde fevereiro de 2018 estou 24h a disposição pelo meu trabalho, quer criticar, seja construtivo e inteligente. Quer andar de carro? Vai conhecer a Saúde em outras cidades antes de falar que estamos vivendo em um caos. Temos desafios e problemas, mas não venha desmoralizar meu trabalho e minha equipe. Lembrando que imunidade parlamentar tem limite e o portal da transparência tem acesso livre. Respeite minha história, você está mexendo com a pessoa errada”, publicou Junior Silveira.

 

 

Publicado na página 02 da edição nº331, do jornal Gazeta de Votorantim, de 24 a 30 de agosto de 2019.

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.