Anterior

Jovem é detido por porte de drogas no Vossoroca

15/10/2019

Anterior

Próxima

zxcxzc

21/10/2019

Próxima
15/10/2019 - 16:10
Cerca-lourenço (edição de 12/10)

Pivetta reaparece para falar de política

O programa Debate dos Fatos da TV Votorantim da última segunda-feira (07) entrevistou o ex-prefeito Carlos Augusto Pivetta. No programa foram sanadas diversas dúvidas que circulam nos bastidores políticos.

 

Pivetta está impedido de concorrer à eleição do próximo ano?

Pivetta confirmou que tem dois processos correndo, um de quando era vereador e outro como prefeito, porém nenhum dos dois já foi concluído, portanto não está impedido de se candidatar, segundo ele.

 

Pivetta deve mudar de partido?

Sim, mesmo ainda estando filiado ao PT, sua pretensão é deixar o partido e buscar uma outra legenda, pois, segundo ele, quando decidiu dar um tempo na política e se dedicar a advocacia, passou a não fazer parte mais das decisões do PT, com isto, novas lideranças sugiram, algo que considera positivo, pois caso continuasse frequentando o PT, o fato de ele ter sido prefeito iria ser uma sombra para outros membros do PT.

 

Vai para o PDT?

Não está definido, tem várias propostas e está avaliando cada uma.

 

É pré-candidato a prefeito em 2020?

Não está definido, pois, para tomar esta decisão entende que teria que haver uma união de forças da cidade e ele estar convencido que seria uma união de propostas para cidade. Acredita que não é possível mais buscar o poder com compromissos que atendam interesses de pessoas e não da cidade. Mas, se tiver este entendimento com outros grupos, um projeto político e a vontade da cidade, dever ser candidato.

 

Cassola é importante?

Para Pivetta, Cassola detém 10% do eleitorado de Votorantim. Cassola decide a eleição, sem dúvida nenhuma.

 

Existiram pesquisas para avaliar seu potencial?

Segundo Pivetta, ele teve acesso a duas pesquisas feitas neste ano, uma com o nome de Jair Cassola e outra sem Cassola, e em ambas Pivetta estaria bem. Segundo ele, na pesquisa que o nome de Cassola é sugerido, Pivetta estaria em segundo lugar, na que não tem Cassola, Pivetta seria o primeiro. Mas Pivetta reconhece que estamos a um ano das eleições e tudo ainda é especulação. Para ele, o quadro começaria a se definir a partir de março de 2020.

 

A avaliação

Quem assistiu ao programa percebeu um Pivetta em plena campanha para 2020, com muitas críticas a atual gestão, e deu a entender que Erinaldo Alves da 

Silva é a sua maior preocupação, mas as inúmeras mensagens de elogios durante o programa confirmaram sua popularidade e junto ao público da cidade.

 

“Não podemos sustentar isto aí, fomos 

enganados”, diz Zelão

Nesta semana, assim como na anterior, a Zona Azul dominou os comentários da cidade, principalmente com a aprovação do decreto de autoria do vereador Zelão (PT) que suspende o serviço de Sistema de Estacionamento Rotativo de veículos em Votorantim. A suspensão, mesmo que por tempo indeterminado, de uma concessão pública é um marco para a cidade de Votorantim e mostra claramente a força do legislativo, que unido e pressionado pela sociedade não aceita imposições do executivo.

 

Um chutou o outro fez o goooool

O decreto de lei de autoria do vereador Zelão (PT) teve no primeiro momento apoio e ajuda do vereador Alfredo Pissinato Júnior (Cidadania), que desde o início da implantação do serviço de Sistema de Estacionamento Rotativo de veículos tem feito críticas contundentes ao sistema e às falhas cometidas pela empresa V-Park, que foi a vencedora do edital.

 

“Empresa de tecnologia que nos traz esta porcaria de aplicativo”, diz Pissinato

Na sessão da última terça-feira, o vereador Alfredo Pissinato Júnior (Cidadania) não poupou críticas ao serviço de aplicativo que a empresa adotou para a aquisição de créditos para estacionar na cidade. Em sua fala, Pissinato lembrou que a empresa responsável pelo Sistema de Estacionamento Rotativo de veículos é, na verdade, uma empresa de tecnologia, “o que deixa mais evidente o despreparo na hora de colocar um serviço à disposição da população”. O vereador fez uma referência de tecnologia que funciona, que é a do UBER, na qual tudo é informado, ao contrário do aplicativo do sistema de Sistema de Estacionamento Rotativo de veículos de Votorantim, “que mais atrapalha do que ajuda”. Ele ainda acrescentou que “R$ 6 milhões por ano é muito dinheiro, teria que ser tudo de primeira e não essa coisa amadora que nos enfiaram goela a baixo”, disse.

 Teve Gaguinho x Lilo e Heber x Fabíola

Mas a sessão não se restringiu apenas à Zona Azul. A conversa gravada pelo vereador Gaguinho (DEM) e exibida em sessão anterior voltou a ser foco de discussão que envolveu diversos vereadores, uns amparando o vereador Gaguinho e elogiando a atitude, e outros deixando claro que o fato de o executivo atender vereadores que votam com o governo é “uma prática comum’.

 

O excesso de sinceridade de Carlos Laino

Na defesa de Gaguinho (DEM) se manifestou o vereador Alfredo Pissinato Júnior (Cidadania) que disse ter ficado abismado com a sinceridade e a franqueza do secretário de Governo, Carlos da Laino, na entrevista que concedeu à TV TEM, quando confirmou que não atende quem não ajuda.

 

O vereador que mais trabalha

Já o vereador Ita (Cidadania) disse não ter nenhum problema de ser atendido pelo governo Fernando pelo simples motivo de ser um dos vereadores que mais trabalha pela população

 

Alguém pode segurar o Bruno?

Mas quem mais uma vez usou a tribuna para falar mais do que devia foi o vereador e ex-presidente da Casa, Bruno Martins (DEM). Em seu discurso inflamado, ficou clara a sua tentativa de mostrar o quanto Gaguinho utilizou de um artifício nada convencional para expor o secretário de Governo. Na visão de Bruno, a prática política de atender quem está com o governo acontece desde que o Brasil foi ‘descoberto’, no ano de 1500.

 

“Nem Bolsonaro está conseguindo”

Bruno chegou a usar como exemplo o presidente Bolsonaro, que durante sua campanha eleitoral propôs que não aceitaria troca, nem barganha, mas para Bruno, as promessas do presidente ficaram apenas na campanha eleitoral, pois segundo ele, estamos vendo que nada é votado da forma que o governo quer se não tiverem os acordos com os deputados e senadores. “E assim é em Votorantim também”, segundo Bruno Martins.

 

Heber x Fabíola

Em dois momentos, o clima na discussão que envolve o áudio gravado pelo Gaguinho tomou proporções mais acirradas. A primeira foi entre Heber Martins (PDT) e Fabíola Alves (PSDB). Heber disse que a prática de a situação ser mais atendida do que oposição não é apenas deste governo e deu como exemplo o governo do pai da vereadora, Erinaldo Alves da Silva, quando a vereadora sempre votava favorável ao governo e que agora, que é oposição, o comportamento é outro.

Fabíola x Heber

Fabíola, que não é de ouvir e se calar, voltou à tribuna e disse que Heber não seria a pessoa mais indicada para falar de troca de favor, haja vista o áudio que foi divulgado, que, segundo ela, compromete o vereador e é alvo de investigação.

 

Gaguinho x Lilo

Outro momento tenso foi entre o presidente Lilo (MDB) e o vereador Gaguinho (DEM). Lilo, em sua fala, foi tranquilo e respeitoso ao explicar como ele entende a questão de vereadores fazerem solicitações ao executivo e mostrou que vereador não pede para ele e sim para a população e que isso é legitimo, segundo ele.

 

Mordeu a chumbada

Mas Gaguinho, como diz na gíria política, ‘mordeu a chumbada’, passou a desqualificar Lilo como Pastor e disse que se reuniu no gabinete da vereadora Fabíola para tirar o presidente que “está fazendo a vergonha da Casa de Leis”. Gaguinho ainda afirmou que se ele fosse presidente no lugar de Lilo, já teria perdido a cadeira de presidente, haja vista que quase foi cassado por usar o carro da Câmara “em favor do povo”.

 

Palhacinho sem graça

Lilo não entrou no clima de Gaguinho e respondeu calmamente que o vereador Gaguinho não entendeu qual é a função de um vereador. “Vereador é para fiscalizar e ele não fiscalizou nada”, e entre “Glória” e “É só vitória” de Gaguinho, o vereador Zelão pediu para cortar o microfone dos dois, mas ainda assim Lilo revidou chamando Gaguinho de “palhacinho sem graça”.

 

Murilo Piatti é pré-candidato 

a vereador pelo PSDB

Na sexta-feira (04), em reunião na sede do PSDB de Votorantim, o jovem Murilo Piatti colocou seu nome à disposição da política da cidade, sendo pré-candidato a vereador pelo partido. Jovem atuante nas causas sociais e políticas da cidade desde 2015, Piatti se vê preparado para iniciar esse novo projeto que tem como slogan: “É hora de descobrir novos caminhos para a política”.

Piatti, que é presidente e fundador do grupo Juventude em Ação, irá transferir a presidência do grupo aos demais jovens para poder se dedicar ao período pré-eleitoral, porém continuará prestigiando as ações e eventos.










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.