Anterior

Com críticas, denúncia e adiamento, teve início a 25ª Copinha Sub-15

18/01/2020

Anterior

Próxima

“O meu futuro pode estar nessa Copinha”

18/01/2020

Próxima
18/01/2020 - 14:18
Coluna do Kaká Martins: O fiasco iminente de um evento que já nasceu morto
 Foto: Jorge Silva 

Decepção para o público na quinta-feira

 

Coluna cerca-lourenço do esporte

Kaká Martins

 

Olá amigos desportistas e leitores da Gazeta de Votorantim, estamos de volta e "afiados", depois do período de férias e reflexões sobre como a cidade administra suas atividades esportivas, e como o público as recebe, e desejo a todos um ótimo ano cheio de boas notícias. Infelizmente não deu para começar com a "boa" nesta semana.

O torneio pode até acontecer, ainda que a imprensa e simpatizantes tenham apostado pesado, que logo após o cancelamento da abertura, previsto para acontecer na 5ª feira (16/01), o evento esportivo que se aproxima do âmbito profissional, que é um dos mais queridos do poder público e dos amantes do esporte, poderia até não acontecer. Desinformação atrás de desinformação.

Qual o prefeito ou cidade não sonharia ter em sua programação e orçamento um evento atrativo e tradicional, sempre muito bem aceito pela imprensa regional e munícipes? Um torneio praticamente "certeiro" no quesito: Aprovação pública, votos, status de grandeza, crescimento no turismo e etc.."

Vários motivos colocaram em "xeque mate" a Copinha deste ano. A começar pela falta de interesse do público que já viu no ano passado, o torneio ser realizado longe do Estádio Municipal, e sem os grandes clubes paulistas e cariocas.

Não que o Sesi esteja tão longe do alcance do "Povão do futebol", é que o Estádio Municipal é uma unanimidade. Um "templo da Copinha", o palco do espetáculo.

Escrevi no final do ano passado (sabendo que o torneio continuaria o mesmo) que a solução sensata seria o cancelamento por hora do torneio, em meio a falta de recursos, ausência dos grandes e o poder público ser sincero em admitir problemas com alvarás, licença do corpo de bombeiros, logística, enfim, vários fatores que facilmente seriam compreendidos pela população e imprensa, afinal, vivemos tempos de "vacas magras".

Um absurdo ligar as rádios da região e ouvir de seus apresentadores que há duas horas da abertura do torneio não se tinha notícia da tabela com horários, confrontos e locais dos jogos. Um absurdo o torcedor ficar sem notícias ou explicações. Um absurdo você consultar a página dos times e blogs especializados, e se deparar com "Zero" de notícias. Isso aqui, era para estar fervendo. Nem a nossa querida TV Votorantim transmitirá os jogos como fez com muito sucesso em anos anteriores. O mundo "fugiu" da Copinha, e o prefeito não acordou ainda.

A Copinha e a cidade já são motivo de "chacota" do seu próprio povo, além da marca negativa que o evento já deixou, tornando a tarefa dos próximos dirigentes mais árdua e morosa, no sentido de resgatar o campeonato que era visto como referência nacional, servindo como base a primeira convocação da seleção brasileira sub-15 do ano para os próximos anos.

Com todos os problemas, vamos torcer para a nossa Seleção de Votorantim, sob o comando do técnico Caio, que chegou a cancelar uma entrevista numa rádio em Sorocaba, certamente por não saber onde o time jogaria contra o Paraná na sua estreia.

E sucesso ao Votoraty, nosso querido tigre, sob o comando do expediente Geraldinho, que no ano passado avançou a segunda fase, e neste ano conta com elenco 90% de jogadores de Votorantim e Sorocaba, apostando revelar seus talentos para os modestos clubes visitantes deste ano, além de "olheiros". Que serão poucos também.

Não dá para dar parabéns para a nada e pra ninguém. Conseguiram acabar por hora com a nossa "Copinha". Nota zero de organização. Nota zero de planejamento. #lutocopinhavotorantim

 

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.