Anterior

Consumidores brasileiros esperam inflação de 5% nos próximos 12 meses

23/01/2020

Anterior

Próxima

Programa de Aceleração de Startups do PTS recebe inscrições até o dia 31

23/01/2020

Próxima
23/01/2020 - 17:09
DIA DO APOSENTADO: quedas podem indicar problema auditivo


Com o passar dos anos, é normal que os sentidos fiquem menos aguçados e sofram alterações. Mas, o que o desgaste da audição, especificamente, pode causar? Quais as consequências de não tratar de forma adequada um problema comum, como esse, na terceira idade?

O Dia do Aposentado, celebrado em 24 de janeiro, é uma data que homenageia as pessoas que trabalharam a vida toda e, agora, podem desfrutar com mais tranquilidade daquilo que foi conquistado. Entretanto, esse dia também serve de alerta para o cuidado com a saúde dos idosos. “Devemos reforçar a importância da saúde auditiva em todas as fases da vida, mas, falando especialmente dos idosos, o cuidado deve ser redobrado. Existe uma ligação direta entre a audição e o equilíbrio, com a idade há um declínio natural da audição e nosso sistema de equilíbrio necessita de informações precisas da visão, audição e sistema musculoesquelético para enviar mensagens precisas ao cérebro. Qualquer alteração nesse sistema compromete a estabilidade do corpo”, fala Dra. Vanessa Gardini, fonoaudióloga da Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos de Sorocaba (SP).

Exatamente por isso, completa a especialista, as quedas são mais comuns na terceira idade. De acordo com pesquisa realizada pelo Censo 2018, essa é a principal causa de internações hospitalares entre os idosos, totalizando 56,1% dos casos. Ainda segundo o levantamento, um terço das pessoas com 65 anos ou mais já foi vítima de acidentes envolvendo, pelo menos, uma queda ao longo do ano. Além disso, o número de quedas cresceu entre os idosos com mais de 70 anos. “O envelhecimento é um período de mudanças e adaptações. Com o passar do tempo, todos passamos por deficiências funcionais e declínios progressivos nos sistemas. Como consequência, o controle postural e o equilíbrio são afetados. Entretanto, o que muitos não sabem é que isso pode estar ligado à perda auditiva, visto que, quando há uma diminuição do equilíbrio, as capacidades funcionais são reduzidas e isto inclui a audição”, elucida a fonoaudióloga.

Para promover a reabilitação nessas situações, a saída são os aparelhos auditivos, que estão cada vez mais eficientes, modernos e discretos. “Escutar bem os sons no ambiente e compreender as pessoas é fundamental para conduzir uma caminhada com mais firmeza, assim, diminuindo as quedas e prevenindo uma série de outras complicações”, frisa Dra. Vanessa.

Sim, os problemas auditivos não tratados na terceira idade podem causar muito além das quedas! “Os idosos, quando possuem perda auditiva não tratada, sofrem muito. Algumas consequências são: comunicação ruim, baixa autoestima e irritabilidade, depressão, isolamento social, além de enfraquecimento da saúde física e mental, podendo levar às demências, como o Mal de Alzheimer”, comenta a especialista.

A fonoaudióloga faz um alerta para o cuidado com a saúde auditiva ao longo de toda a vida. “É importante destacar que os cuidados devem começar desde cedo, ainda na infância. Tudo que fazemos ao longo da vida reflete no passar do tempo. Nossa saúde depende de nós e acredito que todo mundo deseja ter uma terceira idade saudável”, completa.

A especialista da Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos elenca os cuidados que todos devem tomar para não prejudicar a saúde auditiva:

  1. Evitar a exposição aos ruídos
  2. Não utilizar fones de ouvido com volume elevado
  3. Nunca se automedicar
  4. Adotar hábitos saudáveis de vida
  5. Consultar-se periodicamente com um especialista
  6. A partir dos 50 anos, fazer o exame de audiometria (da audição) regularmente


Fonte: Assessoria de Imprensa










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.