Anterior

Você Repórter, edição nº 353

24/02/2020

Anterior

Próxima

Polícia localiza suspeito de furto com bike estimada em R$ 20 mil

24/02/2020

Próxima
24/02/2020 - 16:35
Cerca-lourenço do esporte, edição nº 353

 

Uma "Cesta de 3 pontos" para ensinar o poder público como é que se faz!

 

O Hawkes Basquete Votorantim foi apresentado nesta semana e as melhores notícias do projeto são seus idealizadores. Começando pelo coordenador técnico, Paulo Tonche, votorantinense que já esteve à frente de projetos sociais de categorias de base, com atenção especial no feminino. Porém, não avançou na época por falta de apoio do poder público e patrocínio.

Tonche merecia essa chance e a hora é de mostrar serviço e apagar aquela frustração com o prefeito e Sedesp da época (2011 e 2012). O técnico foi traído pelas promessas de políticos interessados apenas em sair bonito na foto e preocupados com suas reeleições.

Sabemos que o projeto foi anunciado como parceria público-privada, porém não se sabe se o projeto tem investimento particular ou de alguma verba de incentivo fiscal de cunho esportivo. A certeza é que os treinos e jogos serão disputados no novíssimo ginásio de Altos de Votorantim, ainda que o ginásio não ofereça a estrutura necessária, pois, apesar da fortuna que custou, não possui a tabela do basquete e placar eletrônico. Itens exigidos pela Federação Paulista de Basquete.

E claro, esse investimento virá da equipe e de parceiros, que já estão providenciando a compra dos mesmos. E olha que são caríssimos!

O outro idealizador é o ex-piloto de Bicicross de Sorocaba, e empresário Ricardo Perez (O rei da bike). Aliás, a surpresa foi exatamente essa: como e porque o investimento de Ricardo e seus parceiros se deu pelo basquete e não o bicicross?

A cidade já tem seu projeto e equipe de Bicicross, ainda que esta equipe já tenha vivido dias melhores.  Então, que seja bem-vindo o time de basquete que já começa a representar a cidade no próximo dia 08/03, enfrentando as grandes e renomadas equipes de basquete, categoria masculino sub-14, como o Pinheiros, Corinthians, São Paulo, Paineiras, Esperia e Paulistano e outros.

Tonche e Perez garantem terem escolhido a cidade pensando nas pessoas e não na política. E, de fato, a dupla não tem relação com partidos ou candidatos. Poderiam ter escolhido Sorocaba, mas Perez e Dona Cida, sua mãe, criadora do projeto vencedor do Bicicross daquela cidade, devem estar decepcionados ou sem expectativas melhores para esse investimento no momento. Tomara que queiram realmente abraçar a cidade e se sentirem abraçados.

O projeto tem intenção de disponibilizar aulas para crianças de Votorantim, com seus técnicos e professores, para contribuir com a cidadania e revelar jogadores para o mundo. 

A Prefeitura não tem um projeto concreto de base, seja no basquete, no futebol, voleibol, natação, handebol e tênis de quadra.  A cidade promoveu eventos esporádicos e teve equipes pontuais para a disputa de alguns torneios.  Formação e algo que se possa chamar de projeto, nada.

O poder público, hoje, não é capaz de obter ou investir nestas equipes. É pura Utopia.

Sorocaba teve os melhores times de Basquete e Vôlei feminino, e os investimentos vieram de uma grande multinacional do ramo de chocolates e leite condensado.

Aquela cidade só oferecia o ginásio e uma apaixonada torcida. E tudo aquilo foi apaixonante, e deixou um legado. O mesmo que se espera dos Hawkes Votorantim. 

O ginásio dos Altos de Votorantim passa a ser utilizado de forma correta, útil e promissora para uma região carente de bons projetos sociais. Que venham outros tantos projetos para essa juventude ociosa e sofrida, que necessita de mais amor, atenção, dedicação e um basta de mentiras e ilusões.


Coluna publicada na página 13, da edição nº 353, da Gazeta de Votorantim, de 22 de fevereiro a 06 de março de 2020. 

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.